Publicado em: 30/11/2015 11h39 - Atualizado em 08/12/2015 16h48

Guarda Civil: uma história de evoluções

Tecnologia e inteligência são grandes aliadas no combate da criminalidade em Indaiatuba

Leandro Povinelli
Criada no dia 31 de outubro de 1983 com a finalidade de colaborar com a Polícia do Estado no serviço de segurança do município, seja ela de ordem pessoal ou patrimonial, exercendo vigilância duradoura nas vias e logradouros públicos, além de socorrer a população nos casos de necessidade, a Guarda Civil de Indaiatuba completou, em 2015, 32 anos de existência.
A primeira turma iniciou o Curso de Formação e passou por 500 horas de aulas, divididas em 90 dias, ministradas por um corpo docente formado por magistrados, oficiais da Polícia Militar e especialistas em Direito Penal, Prática Policial, Instrução Policial, Ordem Unida, Relações Públicas, Armamento e Tiro, Socorros de Urgência, Língua Portuguesa, Defesa Pessoal, Educação Física e Natação.
O curso aconteceu em uma sala no Ginásio Municipal de Esportes e a solenidade de formatura da primeira turma foi realizada na manhã de 5 de maio de 1984, na Praça Prudente de Moraes, com a presença de dezenas de autoridades civis, militares e eclesiásticas. O ato foi presenciado por um público de mais de 20 mil pessoas, onde os formandos prestaram seu compromisso com o município e desfilaram com a tropa. Assim, ficava marcada a entrega oficial da corporação à cidade, sendo que, no mesmo dia, os guardas já iniciaram seus trabalhos com patrulhamento ostensivo.
A independência
Ao longo dos mais de 30 anos de combate ao crime, a Guarda Civil de Indaiatuba já formou 15 turmas, com média de duas por ano, sendo cada grupo formado com cerca de 35 novos guardas. No entanto, no início da caminhada, a corporação atuava praticamente como uma extensão da Polícia Militar. O comando, inclusive, era exercido pela PM. Mas, aos poucos, a corporação foi conquistando sua independência.
Foi então que, por volta do ano 2000, com a entrada em vigor do Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003), Indaiatuba firmou um convênio com o Ministério da Justiça e, com isso, todo o efetivo passou por uma requalificação, possibilitando a assinatura de um convênio com a Polícia Federal para a obtenção do porte de arma de fogo funcional. Já em 2009, porém, a Secretaria de Defesa e Cidadania (atualmente Secretaria Municipal de Segurança) contratou uma consultoria especializada em organização e métodos, que ensinou e implantou ferramentas administrativas de Procedimento Operacional Padrão para otimizar o trabalho de todos os agentes.
Além disso, nos últimos anos, também foi implantado o policiamento com motocicletas, através das Rondas Ostensivas Com Motocicletas de Indaiatuba (Romi), além da renovação da frota e do armamento, substituindo revólveres por pistolas. Contudo, o maior investimento de Indaiatuba na parte de Segurança Pública foi o Centro de Operações e Inteligência (COI), com um sistema de monitoramento por câmeras que permite a pesquisa e a visualização de veículos suspeitos.
Para o secretário municipal de Segurança, Alexandre Guedes Pinto, vale a pena ressaltar o reconhecimento ao trabalho da Guarda no período de mais de 30 anos. "A ação da GCI ganhou muito respeito, hoje ela é uma corporação diferenciada, cujos integrantes sempre estarão atuando no município, fazendo com que se tornem policiais comunitários", ressalta.
Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura, a corporação, atualmente, é composta por 236 guardas, com contratação prevista de mais 39 homens até o início de 2016, e mais de 50 viaturas, entre quatro e duas rodas, demonstrando um trabalho efetivo na cidade e realizando ações próprias no combate à criminalidade, atuando, também, em conjunto com a Polícia Militar e com a Polícia Civil.
Primeiras turmas de patrulheiros da Guarda Civil de Indaiatuba, antigamente ostentando o nome de Guarda Municipal Primeiras turmas de patrulheiros da Guarda Civil de Indaiatuba, antigamente ostentando o nome de Guarda Municipal (Crédito: Reginaldo Rodrigues)
Marcha de apresentação dos agentes de segurança, responsáveis por defender o município contra a criminalidade Marcha de apresentação dos agentes de segurança, responsáveis por defender o município contra a criminalidade (Crédito: Reginaldo Rodrigues)
O Fusca foi uma das primeiras viaturas da corporação O Fusca foi uma das primeiras viaturas da corporação (Crédito: Reginaldo Rodrigues)
Evolução tecnológica permite o monitoramento em tempo real das ruas do município Evolução tecnológica permite o monitoramento em tempo real das ruas do município (Crédito: Eduardo Turati)

COI se torna a "menina dos olhos" no setor

Implantado no final de 2009, o Centro de Operações e Inteligência (COI) da Guarda Civil de Indaiatuba é, atualmente, uma das maiores ferramentas contra a criminalidade no município e na região. Com um investimento de R$ 3 milhões, possui ferramentas digitais e equipamentos de última geração para monitoramento e fiscalização, já tendo atendido mais de 500 ações entre janeiro de 2010 até o momento.
Todos os trabalhos de inteligência oferecem apoio às investigações da Polícia Civil e atuações de combate ao crime, realizadas pela Guarda Civil e pela Polícia Militar. O número de presos com apoio do COI já ultrapassa a marca dos 150. A quantidade de pessoas indiciadas é superior a 200 e o número de veículos apreendidos por participação em crimes já passou dos 300 desde a implantação do sistema.
Funcionando 24 horas por dia, o Centro conta com mais de 200 câmeras espalhadas por Indaiatuba, além de 25 funcionários que atuam nas áreas de atendimento de ocorrências, despachos de viatura, monitoramentos, manutenção, desenvolvimento de tecnologia e inteligência.
GOC
Em janeiro de 2011, os patrulheiros da Guarda Civil receberam um reforço especial para o combate à criminalidade, principalmente contra o tráfico de entorpecentes. O Grupo de Operações com Cães (GOC) possui cães treinados para farejar drogas e armas. Os membros atuantes na divisão são preparados para trabalhar com os cachorros em operações e patrulhamentos, seja em apoio à Polícia Militar, à Guarda Civil ou à Polícia Civil. Em plena atividade, a equipe do Canil já promoveu várias apreensões e localização de entorpecentes escondidos por traficantes nos mais diversos ambientes e locais espalhados por Indaiatuba.
Além disso, alguns cães ainda são treinados como showdogs, tendo como objetivo realizar uma aproximação com o público e fornecer apoio durante orientações e palestras de combate às drogas. Durante as apresentações, ospatrulheiros responsáveis pelos animais demonstram as habilidades do cachorro.
Câmera Cidadã
Lançado oficialmente em 2 de maio de 2012, o projeto Câmera Cidadã consiste em cadastrar câmeras particulares fixadas em imóveis comerciais, residenciais ou industriais, voltadas para a área externa. As imagens captadas são fornecidas ao Setor de Inteligência da Guarda Civil e, caso ocorra algum crime na área, as gravações são repassadas ao Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil para que uma investigação possa ser realizada.
Com 700 câmeras cadastradas, as imagens já cobrem mais de 300 pontos diferentes do município, onde cada uma delas é registrada em um mapa online com todos os detalhes da localização, sendo tudo reservado e sigiloso.
"Quando ocorre um crime em uma determinada região da cidade, vamos buscar imagens das proximidades, cruzar essas informações com o sistema de monitoramento da guarda e encaminhar um relatório para colaborar com as investigações da Polícia Civil e outro para ações preventivas da Polícia Militar e da Guarda Civil", comentou o secretário de Segurança. Os interessados no programa podem cadastrar as câmeras pelo telefone 3834-8515 ou pelo e-mail defesa.inteligencia@indaiatuba.sp.gov.br.

Crim integra monitoramento regional

Com o sucesso do Plano de Segurança de Indaiatuba através da implantação de novas tecnologias, de inteligência e com a redução histórica dos índices de criminalidade, a ideia de uma integração regional contra a criminalidade tornou-se ainda mais viável, fazendo com que, em novembro de 2012, fosse criada a Central Regional de Inteligência e Monitoramento (Crim).
A interligação, atualmente entre 11 cidades, permite que o alarme sonoro e visual seja acionado ao mesmo tempo nos centros de operações das cidades envolvidas na ocorrência assim que um veículo suspeito é detectado. A informação é passada automaticamente em tempo real para todas as guardas civis interligadas.
Desde que começou a operar, a Crim já solucionou 120 casos intermunicipais envolvendo duas ou mais cidades, informou a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Segurança. O resultado é o trabalho conjunto entre profissionais de monitoramento, criando uma base compartilhada de dados que cerca a ação dos criminosos.

Veja Também:

Comentar


Mais lidas
Filmes em cartaz
  • CAPITÃO AMÉRICA - GUERRA CIVIL
  • O CAÇADOR E A RAINHA DO GELO
  • EM NOME DA LEI
  • MILAGRES DO PARAÍSO
  • MOGLI - O MENINO LOBO
  • BATMAN VS. SUPERMAN - A ORIGEM DA JUSTIÇA
  • ZOOTOPIA
  • TUDO QUE APRENDEMOS JUNTOS