Publicado em: 13/02/2017 14h05 - Atualizado em 13/02/2017 20h35

Trabalho: fonte de auto-aprimoramento

Todas as coisas nos são proporcionadas quando nos tornamos merecedores delas e capazes de usá-las de maneira proveitosa. Mesmo que recebamos algo, se não tivermos a capacidade de usá-lo de maneira proveitosa, será como se não o tivéssemos recebido. Portanto, devemos nos esforçar constantemente para sermos merecedores daquilo que almejamos e também para desenvolvermos a capacidade de usá-lo proveitosamente. Nesse sentido, podemos atestar a veracidade do ditado: "O céu ajuda quem ajuda a si próprio". Em cada coisa, cada fato e cada situação, devemos ver uma boa oportunidade para exteriorizar a nossa força latente; qualquer que seja o trabalho, devemos executá-lo de maneira atenta, com dedicação sincera, empenhando o máximo de nossa capacidade. Não pensemos que o trabalho seja simplesmente um meio de obter dinheiro ou uma obrigação imposta; devemos considerar o local de trabalho uma academia para nosso contínuo auto-aprimoramento.
Nossa capacidade interior aumenta à medida que exteriorizamos nossa força latente por meio de esforços para o auto-aprimoramento; e, quanto maior se torna a nossa capacidade interior, mais podemos receber. Em vez de gastarmos o tempo lamentando ser pouco o que temos recebido, devemos nos esforçar em despertar e exteriorizar a nossa força latente. Assim, descobrimos que infinitas possibilidades nos aguardam em nossa jornada da vida.
Acredite na infinita capacidade que existe em você.
Extraído do livro Meditando sobre a Vida de Masaharu Taniguchi. Informações com Sr. Ismael Artoni (19) 3875-3006. Participe do Domingo da Seicho-No-Ie!

Veja Também:

Mais lidas
Filmes em cartaz
  • CINQUENTA TONS MAIS ESCUROS
  • LEGO BATMAN: O FILME
  • O CHAMADO 3
  • ESTRELAS ALÉM DO TEMPO
  • ATÉ O ÚLTIMO HOMEM
  • TOC - TRANSTORNADA, OBSESSIVA, COMPULSIVA
  • RESIDENT EVIL 6: CAPÍTULO FINAL
  • QUATRO VIDAS DE UM CACHORRO
  • A BAILARINA
  • BELEZA OCULTA
  • LA LA LAND - CANTANDO ESTAÇÕES
  • O APARTAMENTO
  • MINHA MÃE É UMA PEÇA 2