Publicado em: 24/08/2017 14h09 - Atualizado em 28/08/2017 12h06

330 - Momento consciência

"Será que está na hora de passar o bastão?"
Dizem os sábios que temos que ter sempre consciência de quem somos e onde estamos. Há quem goste e há quem não goste de completar essa máxima com "para onde vamos". Independente do lado que você esteja, creio que exista um consenso - precisamos ter consciência das coisas. Não podemos nos deixar levar pela manada de forma aleatória e sem pensar no que estamos fazendo. Infelizmente, conheço muita gente que se deixa levar pelas "imposições" da vida e acordam depois de um certo tempo se perguntando "Por que estou fazendo isso?", ou pior, "O que estou fazendo da minha vida?".
No meu caso, desde que, há 11 anos, comecei a estudar formalmente gestão de carreiras e desenvolvimento de competências, tenho procurado ser um promotor da consciência plena. Reforço sempre em minhas aulas e conversas com alunos, ex-alunos, amigos e familiares, que o princípio de uma vida feliz e de uma carreira de sucesso é, inicialmente, a consciência plena de onde estamos e de como chegamos até aqui. Este é, na minha modesta visão, o princípio de um bom planejamento. Sem isso, fica difícil até pensar no futuro, nos objetivos, nas escolhas e, principalmente, nas renúncias.
Pois bem, hoje completo a marca de 330 artigos escritos aqui neste espaço. São quase 7 anos, religiosamente toda semana, debatendo e colocando as minhas visões, opiniões e provocações àqueles que se interessam pelo tema. Sigo me perguntando semanalmente se o que escrevo ainda faz algum sentido ou tem relevância para alguém. Todos os domingos à noite, antes de dormir, já começo a me perguntar "sobre o que vou escrever nesta semana?". Às vezes, a ideia vem rápido e flui. Às vezes, sigo até a quarta à noite, no limite para concluir e enviar o texto para o fim de semana, numa angústia enorme e sem a menor ideia do que colocar no "papel". Mas, depois de 330 semanas, já aprendi a lidar com esses sentimentos ambíguos e sofro menos, até porque sei que na hora certa a ideia segue para o papel como água de correnteza.
Já confessei aqui em outros momentos que a vontade de parar já bateu à porta algumas vezes. Não por preguiça, mas por falta de convicção de que ainda tivesse algo relevante para professar para alguém. Mas, como também já declarei aqui, a vontade de parar vai embora quase na mesma velocidade com que chega. Muitas vezes, pensei com meus botões: "se eu parar cedo demais, que lição de persistência e comprometimento com um projeto estarei dando aos meus alunos e à minha filha?". Não poderia fazer isso, de forma alguma.
Hoje, depois de quase 7 anos, mais um momento consciência, resultando em um sentimento e uma pergunta. O sentimento é o de gratidão e realização. Gratidão aos que acompanham, criticam, sugerem temas e manifestam algum tipo de carinho. E a pergunta não poderia ser outra: "Será que ainda sou relevante? Essa jornada semanal ainda faz sentido?"
Hoje, encerro com um recado e um pedido. O recado é que você tenha a disciplina para, frequentemente, parar e pensar na sua vida pessoal, financeira, na sua carreira e em como está conduzindo as coisas na sua jornada. Nunca perca a consciência de quem você é e como chegou aonde está. E o pedido é que me responda, pelo meio que achar mais conveniente, se acha que está na minha hora de passar o bastão ou se ainda devo seguir neste longo caminho de escrever semanalmente. Estou curioso para saber a sua resposta. Até o próximo!

Veja Também:

Mais lidas
Filmes em cartaz
  • A TORRE NEGRA
  • BINGO: O REI DAS MANHÃS
  • O CASTELO DE VIDRO
  • ANNABELLE 2: A CRIAÇÃO DO MAL
  • CINECLUBE - POESIA SEM FIM
  • JOÃO - O MAESTRO
  • PLANETA DOS MACACOS: A GUERRA
  • O FILME DA MINHA VIDA
  • D.P.A - DETETIVES DO PRÉDIO AZUL