Publicado em: 07/02/2018 15h41 - Atualizado em 09/02/2018 17h25

Quando é necessário mudar!

Paulo Antolini é psicólogo, psicoterapeuta, practitioner de programação neurolinguística, administrador e consultor de empresas. Fones: (19) 3834-8149 / (19) 99159-2480 Email: paulo.salvio@terra.com.br

É comum escutarmos e mesmo falarmos "eu preciso mu-
dar isso", e continuarmos a fazer exatamente como antes. Então frases como "eu não consigo", "isso não é para mim" e outras mais são repetidas, como justificativas para o não ter se modificado.
A mudança envolve vários passos para que ela possa ocorrer. Aqui vamos apenas falar sobre o que se quer realmente, pois muitas vezes o que se diz querer não é verdadeiro. Então o primeiro passo é fazer uma profunda reflexão sobre o que está se propondo.
Mario chegou ao consultório dizendo querer parar de beber e não conseguir. Não ficava embriagado ou agressivo, não se tornava inconveniente, mas sentia-se muito mal por não estar conseguindo.
Ao verificarmos seu verdadeiro objetivo, ficou claro que ele queria agradar aos seus familiares que viviam fazendo críticas veladas e, às vezes até diretas ao seu comportamento. Ele gostava de beber. Ao descobrir isso modificou sua proposta. Passou apenas a se conter nas quantidades ingeridas. Essa diminuição não só lhe fez bem fisicamente, pois qualquer bebida interfere em nossa saúde, como também seus familiares pararam com seus comentários, pois consideraram seu atual comportamento com a bebida dentro dos limites.
Meire tinha grande dificuldade em cumprir horários e vivia com problemas por isso, não só no trabalho, mas com seus relacionamentos, chegando inclusive a ser deixada para trás por não chegar no ponto de encontro na hora marcada. Depois de algum tempo descobriu que desde pequena escutava de seus pais que chegar primeiro em algum lugar não era de "bom tom".
Apenas dois exemplos, mas que mostram sempre existir algo por trás do impedimento. Então ao se buscar o verdadeiro querer é possível se deparar com as forças que atuam a favor e contra o desejado.
Quando está definido e
claro o que se quer vem o se-
gundo passo: estabelecer um
plano de ação, ou seja, buscar quais os comportamentos que deverão ser adotados para se chegar lá. Muitas
vezes não se consegue uma mudança radical, então é sábio fazê-la por etapas. Um passo de cada vez.
Marta não conseguia manter sua casa em ordem e isso se refletia em sua escrivaninha no escritório. Quando jovem sempre teve quem fizesse por ela. Estabeleceu que iria arrumar e manter em ordem sua escrivaninha, pois era onde mais sofria com as recriminações de sua chefia. Em determinado dia ficou até mais tarde no trabalho e deixou tudo arrumado. No dia seguinte fez um tremendo esforço para evitar o famoso "deixar para depois". "Depois eu arquivo, envio, despacho, leio..." e assim por diante. Ao término de uma semana já não era mais tão difícil, além de estar estabelecendo o hábito de não ir embora sem antes ter deixado tudo nos seus devidos lugares.
Repetiu isso em sua casa. Primeiro o quarto, e assim cômodo por cômodo. Em duas semanas disse estar irreconhecível de tão em ordem que estava.
Sabe o que quer? Estabeleça metas, passos a serem dados, um de cada vez e com certeza você chegará aonde se propôs chegar. Mãos à obra e boa caminhada!

Veja Também:

Mais lidas
Vídeos
Filmes em cartaz
  • CINQUENTA TONS DE LIBERDADE
  • VIVA: A VIDA É UMA FESTA
  • TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME
  • PADDINGTON 2
  • A FORMA DA ÁGUA
  • TODO O DINHEIRO DO MUNDO
  • MAZE RUNNER: A CURA MORTAL
  • THE POST: A GUERRA SECRETA
  • O TOURO FERDINANDO
  • JUMANJI: BEM-VINDO À SELVA