Publicado em: 08/02/2018 08h47 - Atualizado em 09/02/2018 17h25

Vinte anos de Fenui

Associação das Entidades Étnicas tem nova diretoria e faz planos para resgatar evento

Fábio Alexandre
Werner Münchow Nova diretoria foi apresentada em evento de confraternização promovido na sede da Acenbi, na última quinta, dia 1º
Em evento de confraternização realizado na sede da Acenbi (Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Indaiatuba) na última quinta, dia 1º, foi apresentada a nova diretoria da AEEI (Associação das Entidades Étnicas de Indaiatuba) para o biênio 2018/2019. Representante da Coni (Comunidade Negra de Indaiatuba), Maria Ângela Faustino é a nova presidente e assume a entidade com um grande desafio: promover a vigésima edição da Fenui (Feira das Nações Unidas de Indaiatuba), que acontece entre os dias 6 a 7 de julho, no Pavilhão da Viber, e acabou cancelada em 2017.
"Realizamos uma assembleia no último dia 1º para oficializar essa nova diretoria que, pela primeira vez na história da Associação das Entidades Étnicas de Indaiatuba, contará com uma representante da Coni", celebra Ângela, que foi eleita por unanimidade. Sua primeira missão é urgente: "devolver" a Fenui ao calendário de eventos do município. "Em 2017, a crise econômica e alguns outros pontos acabaram levando ao cancelamento da Fenui", recorda. "Agora, nosso desafio é, enfim, promover sua vigésima edição".
Ângela integra a diretoria da AEEI há oito anos e ressalta a importância do retorno da Fenui. "Temos que fazer, não apenas para ajudar as entidades étnicas, mas também para valorizar a cultura local e esta grande miscigenação de raças e credos que temos em Indaiatuba", enfatiza. Algumas reuniões já foram realizadas, mas a principal delas acontece após o Carnaval, no Paço Municipal. "Já contamos com o apoio da Prefeitura de Indaiatuba e de algumas empresas. Mas precisamos de mais pessoas e empresas para nos ajudarem".
Patrocínio
Segundo a nova presidente da associação, o apoio da prefeitura e patrocinadores ainda não é suficiente para a realização da Fenui. "Vamos buscar mais parceiros, porque queremos a Fenui com entrada franca. Sabemos que, para um pai de família, é difícil pagar R$ 5 na entrada, mais estacionamento e ainda consumir na praça de alimentação", analisa Ângela. "Vamos buscar patrocinadores para viabilizar isso. Já temos um levantamento dos custos", revela, sem falar em valores.
A urgência de definições vem de encontro com a proximidade da Fenui, já que faltam apenas cinco meses. "Estamos perto e correndo muito. Nossa intenção é manter o mesmo formato da última edição da Fenui, mas com uma mudança: a montagem do palco do lado de fora do Pavilhão da Viber", revela Ângela. "Além disso, teremos um número menor de apresentações culturais das etnias, para que as famílias possam aproveitar também a praça de alimentação, com mais conforto e tranquilidade, sem correria", adianta,
Para finalizar, Ângela destaca ainda que a estrutura da 20ª Fenui contará com um caixa central, que venderá fichas para todas as barracas de alimentação. As etnias que foram a AEEI atualmente são: afro (Coni), alemã, suíça, italiana e japonesa, além das culturas nordestina e gaúcha. "Estamos pensando em mais algumas novidades para esta Fenui, mas ainda é segredo", ressalta a presidente da AEEI.
Os interessados em participar da 20ª Fenui podem entrar em contato com Ângela pelo e-mail mangelafdias@hotmail.com. A diretoria da AEEI é formada ainda por Cloves Magalhães Costa (vice-presidente), Sérgio Seigi Saito (secretário), Gislaine Cristiane Fanger Menezes (2º secretário), Francione Rambo (1ª tesoureira), Wanderlei Helmut Nilson (2º tesoureiro), Marcel Celso Zerbini (diretor social), Pedro Henrique Wolf Reis, Cristiano Aparecido Leonardo e Rodolfo Antonio Lima de Oliveira, todos do Conselho Fiscal.
A primeira edição da Feira das Nações Unidas aconteceu de 2 a 5 de julho de 1998, depois que os representantes das nações decidiram não participar mais da Faici (Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Indaiatuba). A liderança foi do então secretário municipal Walfrido Carotti. No ano seguinte, o evento faria sua estreia no Pavilhão da Viber, exclusivamente com apresentações folclóricas.

Evento teve início em 1998

A primeira edição da Feira das Nações Unidas aconteceu de 2 a 5 de julho de 1998, depois que os representantes das nações decidiram não participar mais da Faici (Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Indaiatuba). A liderança foi do então secretário municipal Walfrido Carotti. No ano seguinte, o evento faria sua estreia no Pavilhão da Viber, exclusivamente com apresentações folclóricas. A AEEI seria criada no começo do século.
Após diversas edições da Fenui, em 2017 a associação optou pelo cancelamento do evento. Em documento, a direção da AEEI dá mais detalhes. “Em janeiro de 2017, a AEEI entregou ofício ao prefeito Nilson Gaspar, elencando os dez motivos que estariam dificultando a realização das próximas Fenui”. Assim, foi realizado um estudo, visando a reformulação da festa. “Em comum acordo foi cancelada a realização da 20ª Fenui e programadas reuniões mensais durante o ano para planejamento”.
Foi feito, então, o convite para que a Fenui voltasse para a Faici a partir de 2018, mas os representantes da AEEI rejeitaram a proposta. “Neste momento, a AEEI está protocolando um novo layout da Fenui 2018 e a planilha detalhada de seu orçamento, incluindo um resumo histórico”, aponta a associação, que destaca ainda a Fenui como o evento mais significativo na busca pela vocação turística de Indaiatuba.

Veja Também:

Comentar


Mais lidas
Vídeos
Filmes em cartaz
  • CINQUENTA TONS DE LIBERDADE
  • VIVA: A VIDA É UMA FESTA
  • TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME
  • PADDINGTON 2
  • A FORMA DA ÁGUA
  • TODO O DINHEIRO DO MUNDO
  • MAZE RUNNER: A CURA MORTAL
  • THE POST: A GUERRA SECRETA
  • O TOURO FERDINANDO
  • JUMANJI: BEM-VINDO À SELVA