Publicado em: 28/02/2018 16h24 - Atualizado em 02/03/2018 15h43

Motorrad adapta quadrinho de Danilo Beyruth

Fábio Alexandre
Divulgação Guilherme Prates é um motoqueiro em busca de afirmação que se envolve em uma perseguição
Ação, perseguição e morte. Elementos que integram diversos blockbusters do cinema mundial e que, dificilmente, são vistos em produções nacionais, cada vez mais voltadas às comédias. Coube ao diretor Vicente Amorim e aos produtores LG Tubaldini Jr e André Skaf a tarefa de buscar a diversidade em Motorrad, adaptação dos quadrinhos de Danilo Beyruth, que estreia no Topázio Cinemas.
Na trama, o jovem Hugo (Guilherme Prates) está determinado a ser parte da turma de motocross do irmão mais velho. Ele rouba peças para sua moto e alcança o grupo numa cachoeira remota. Cheios de adrenalina, eles sobem a serra por uma trilha que é interrompida por um antigo muro. Hugo se dá conta que eles podem desmontar o muro, pedra por pedra, e abre uma passagem que os leva a um encontro inesperado com a dona do ferro-velho de onde Hugo roubou as peças. Ela os convida para fazer uma trilha ainda mais eletrizante. Mas a diversão fica para trás e eles passam a ser caçados por um grupo de motoqueiros sádicos e sobrenaturais.
"Motorrad é um thriller. Terror e ação sem concessões. Há 20 anos eu tentava fazer um filme de gênero, mas nenhum produtor topava. De repente, apareceu o Tuba (LG Tubaldini Jr) com a ideia para um filme de ação e terror, com motos na Serra da Canastra. Topei na hora" conta o diretor Vicente Amorim, que traz em seu currículo O Caminho das Nuvens, com Wagner Moura; Um Homem Bom, com Viggo Mortensen e Jason Isaacs; e Corações Sujos, com Tsuyoshi Ihara.
Após desenvolver o roteiro, o desafio foi filmar na Serra da Canastra. "Filmamos num ritmo e numa intensidade que, em décadas de cinema, eu nunca tinha visto. Foi febril: chuva, sol, frio pacas, calor escaldante, nas pedras,debaixo d'água tudo isso às vezes no mesmo dia", conta o diretor. "Normalmente, em quase qualquer filmagem, tem aquele dia que você faz uma cena num quartinho com duas pessoas, num boteco, numa rua tranquila com um casal namorando. No Motorrad, não: todo dia era pauleira".
Espírito
Amorim comenta a importância da participação de Danilo Beyruth na produção. "O filme tem totalmente o espírito, o visual, o clima de HQ. Para isso acontecer, ter o Danilo criando os personagens e discutindo cada passo do roteiro junto com a gente, foi fundamental", aponta. Paulistano, nascido em 1973, Danilo começou a trabalhar com quadrinhos em 2007, publicando seu personagem Necronauta.
Autor de Bando de Dois, São Jorge e dá série Astronauta - no seu quarto volume pelo selo Graphic MSP, o selo autoral da Mauricio de Sousa Produções - colaborou como desenhista para a editora Marvel nos personagens Deadpool, Guardiões da Galáxia, Motoqueiro Fantasma e Gwenpool. Atualmente, desenvolve projetos com a DC Comics.
"Me envolvi no projeto desde o roteiro, dando algumas ideias, criei artes conceituais, especialmente para a caracterização dos vilões e das cenas de ação. Sugeri que a gente fosse mais fundo no gênero, que o filme fosse mais um slasher do que um suspense, e investisse na pegada sobrenatural", afirma Danilo.
Somente por se tratar de um filme de gênero, algo extremamente raro entre as produções nacionais, Motorrad já merece respeito. Com alguns clichês, é diferente de tudo que você já viu. Vale a pena conferir.

Veja Também:

Comentar


Mais lidas
Vídeos
Filmes em cartaz
  • OPERAÇÃO RED SPARROW
  • A MALDIÇÃO DA CASA WINCHESTER
  • MOTORRAD: A TRILHA DA MORTE
  • DUDA E OS GNOMOS
  • PANTERA NEGRA
  • PEQUENA GRANDE VIDA
  • TRAMA FANTASMA
  • LADY BIRD: A HORA DE VOAR
  • CINELUBE - THE SQUARE: A ARTE DA DISCÓRDIA
  • CINQUENTA TONS DE LIBERDADE
  • TRÊS ANÚNCIOS PARA UM CRIME
  • VIVA: A VIDA É UMA FESTA
  • A FORMA DA ÁGUA
  • O TOURO FERDINANDO