Publicado em: 27/04/2018 08h44 - Atualizado em 27/04/2018 11h08

Reação e desinformação

O advento das redes sociais elevou a grau máximo o exercício da liberdade de expressão. A interação com os internautas permite um nível de participação nunca antes registrado. O dinamismo das mídias digitais e a sensação de protagonismo estimulam as pessoas a comentar e opinar - algo, a princípio, extremamente saudável num regime democrático.
Na seara política, principalmente, o que se tem constatado é a extrapolação dos limites de bom senso e responsabilidade a partir de dois elementos característicos de nossos tempos: intolerância e desinformação. Ainda que recursos de moderação possam evitar a veiculação de intervenções mais exaltadas ou mal-educadas, o que sobra, em sua maioria, não é propriamente edificante.
Tome-se como exemplo a entrevista exclusiva do ex-prefeito Reinaldo Nogueira à Tribuna. Em sua versão completa nesta edição, a reportagem foi veiculada em versão resumida, de forma antecipada, na página do jornal no Facebook. A informação destacada, de que o ex-prefeito não pretende sair candidato nas eleições deste ano, motivou críticas a partir do equivocado pressuposto de que Reinaldo estaria com os direitos políticos efetivamente suspensos em razão de decisões judiciais em primeira instância. Ocorre que a suspensão dos direitos políticos só se consuma após o trânsito em julgado das ações (ao final do julgamento de todos os recursos), conforme previsto na Lei 8.429 (de Improbidade Administrativa) e na Constituição Federal.
Não se entra, aqui, no mérito das questões jurídicas que envolvem o ex-prefeito. Trata-se apenas de um caso a ilustrar a falta de embasamento - e, por vezes, elegância - que marca grande parte dos comentários em sites, blogs e redes sociais. Ressalte-se que tal participação é bem-vinda, mas é desejável que seja pautada por um pouco mais de reflexão e conhecimento, a fim de enriquecer o debate de ideais e qualificar a opinião.

Veja Também:

Mais lidas
Vídeos
Filmes em cartaz