Publicado em: 16/05/2018 09h56 - Atualizado em 18/05/2018 15h39

Revide - um dos inícios de nossos conflitos

Paulo Antolini é psicólogo, psicoterapeuta, practitioner de programação neurolinguística, administrador e consultor de empresas. Fones: (19) 3834-8149 / (19) 99159-2480 Email: paulo.salvio@terra.com.br

Revidar: "Vingar uma agressão ou ofensa com outra, geralmente mais violenta; reenvidar; responder". Eis a definição do Michaelis, dicionário da Língua Portuguesa.
Casal muito querido por nós e que mora em outro estado do país, ela aniversaria esse mês. Com milhas sobrando uma amiga ofereceu para que ela viesse a São Paulo passar uma semana. Pediu que ela escolhesse as datas para sua vinda e grande sua surpresa quando englobava o dia de seu aniversário. "Você não vai passar com seu marido?" foi a pergunta.
"Já há alguns anos ele não faz nada para demonstrar que se lembrou do meu aniversário, este ano não fiz nada no dele e não vou ficar com ele no meu", foi sua resposta.
Tal fato nos leva a refletir o quanto de nossas ações são revides, respostas "à altura" de atos recebidos e que têm como função apenas "dar o troco". É diferente da resposta que recebemos frente aos nossos atos, pois no revide existe a intenção consciente do agredir.
Sabemos que cada ação desencadeia uma reação. O revide, portanto, trás em seu bojo (parte mais íntima ou fundamental de algo; âmago) a seta certeira do ferir, do devolver, do "olho por olho, dente por dente"!
Em qualquer tipo de relacionamento, seja, afetivo, social, profissional, religioso, quando isso ocorre estabelece-se a regra do daqui para frente não haverá mais compreensão, cooperação e qualquer outro tipo de relevância aos atos praticados. No relacionamento afetivo é a declaração de que essa relação já não mais está firmada em amor, confiança, compreensão, tolerância e principalmente: respeito.
Apesar do título, mais que início, revide identificado significa a revelação dos conflitos. O quanto de situações que foram deixadas de serem tratadas e que agora, na somatória, qualquer grande ou pequena causa é o estopim para a explosão próxima, muito próxima.
O clima que se estabelece quando as relações chegam a esse ponto é muito desconfortável, onde a presença física do outro (a) incomoda, a desconfiança de que, no momento seguinte ao aparente "tudo bem" virá algo que será intensamente irritante e incomodo.
Longe do que é pregado: "faça ao outro o que quer que façam para você", que pode abrir o início de um aprofundamento e acerto nas relações, o revide é a manifestação de que o ponto final está revelado. Pode demorar um pouco mais de tempo para se concretizar, porém vai acontecer.
É lógico que, ao se identificar que isso esta acontecendo, poderá ser avaliado e ocorrer uma mudança de atitude de uma das partes, o que poderá levar a outra também a repensar suas condutas e se retomarem, mas é necessário consciência e humildade, pois a força do querer fazer o outro (a) sentir é muito intensa.

Veja Também:

Mais lidas
Filmes em cartaz
  • DEADPOOL 2
  • CINECLUBE - ARÁBIA
  • VINGADORES: GUERRA INFINITA
  • A NOITE DO JOGO
  • DESEJO DE MATAR
  • VERDADE OU DESAFIO
  • PAULO, APÓSTOLO DE CRISTO