Natura: Ágora vai na contramão do consenso e indica compra da ação

“Os bons resultados da marca Natura no segundo trimestre de 2020 comprovam a relevância de seu modelo de venda social, e esperamos que isso cresça na Avon a partir do início de 2021”, disse a Ágora Investimentos (Imagem: Facebook/Natura)
A Ágora Investimentos foi na contramão do consenso do mercado e elevou a recomendação da ação da Natura (NTCO3) para compra, com preço-alvo de R$ 60 (contra R$ 38 para o fim de 2020).
De acordo com os analistas Richard Cathcart e Flávia Meireles, a empresa de cosméticos está dando início a um forte ciclo de lucro, impulsionado por sinergias e pelo bom desempenho das marcas da companhia (Natura, Aesop e The Body Shop).
“Os bons resultados da marca Natura no segundo trimestre de 2020 comprovam a relevância de seu modelo de venda social, e esperamos que isso cresça na Avon a partir do início de 2021”, avaliaram Cathcart e Meireles.
Empresa mais inovadora
A Natura foi eleita a empresa mais inovadora do mercado brasileiro na nova edição do Prêmio Valor Inovação Brasil, levantamento desenvolvido pela PwC  e pelo Valor Econômico. No sexto ano do ranking formado por 150 companhias, a varejista de cosméticos tirou a liderança da Embraer (EMBR3), que foi rebaixada para a terceira colocação.
A companhia também segue comprometida em desenvolver mais práticas sustentáveis. Na semana passada, a Natura informou o mercado que Roberto Marques, presidente-executivo da holding, virou um dos líderes empresariais que passaram a integrar o Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), maior iniciativa de sustentabilidade do mundo.
A Natura foi convidada pela organização a patrocinar duas iniciativas: “Ambition to 1.5C”, voltada para a crise climática, e “Target Gender Equality”, que busca a igualdade de gênero. As iniciativas são programas aceleradores com prazo estabelecido em nível nacional e tem a colaboração das Redes Locais do Pacto Global, presentes em quase 70 países.

 

Fonte: MoneyTimes