Prime Day da Amazon: Magazine Luiza e B2W devem se preocupar? Seria melhor sim

Gigante na pista: Prime Day da Amazon ameaça varejistas brasileiras (Imagem: Reuters/Mike Segar)
Se a Amazon levar adiante a intenção de lançar o Prime Day no Brasil, as empresas de varejo que investiram no e-commerce, durante a pandemia, têm motivos para se preocupar. A avaliação é de Luis Sales, analista da Guide Investimentos.
Em um breve comentário sobre o assunto, enviado aos clientes nesta manhã (28), Sales observa que o desembarque, no Brasil, desta espécie de Black Friday versão Amazon ocorrerá num momento em que o e-commerce dá sinais de refluxo.
A Guide recorda que as vendas online caíram 9,15% em agosto, na comparação com julho, segundo a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico. Embora, no acumulado do ano, esse mercado ainda apresente uma vistosa alta de 76,5%, a retração do mês passado mostra que a reabertura das lojas físicas vai drenar parte dos clientes.
Quadro difícil
Para Sales, o Prime Day da Amazon, somado à queda das vendas online, compõem um cenário “marginalmente negativo”. Ele acrescenta que a pandemia foi o aditivo crucial para acelerar o desenvolvimento do e-commerce, antecipando uma expansão que, em condições normais, demoraria muitos anos para se concretizar.
“Ainda, a ideia da Amazon de lançar sua principal data de descontos no Brasil pode servir como uma certa ameaça aos grandes concorrentes nacionais”, escreveu. Neste ano, o Prime Day acontecerá nos dias 13 e 14 de outubro. Magazine Luiza (MGLU3) e B2W (BTOW3) que se cuidem.

 

Fonte: MoneyTimes