Spray nasal australiano impede avanço da Covid-19 em testes com animais

A empresa australiana de biotecnologia Ena Respiratory afirma estar desenvolvendo um spray nasal que vem apresentando bastante sucesso no impedimento da progressão da Covid-19. Em testes realizados com furões, o chamado INNA-051 reduziu os níveis do coronavírus em 96%, segundo divulgou a companhia nesta segunda-feira (28).Veja também: Covid-19: vírus pode tornar infectados imunes à dor, dizem especialistasAnvisa aprova novo teste rápido de Covid-19 da farmacêutica RocheSP vai receber 5 milhões de doses da CoronaVac em outubro, diz Doria

A recomendação, diz a Ena Respiratory, é que o spray nasal venha a ser usado como um complemento às vacinas atualmente em pesquisa, bem como a outros métodos de prevenção e tratamento, caso ele seja aprovado em testes humanos. A pesquisa foi liderada pela Public Health England, a agência sanitária da Inglaterra.

Agora a Ena Respiratory deve posicionar o INNA-051 às rigorosas avaliações clínicas em menos de quatro meses, respeitando todas as fases do processo de pesquisa e análise. O desenvolvimento do spray nasal foi concebido por meio de uma série de investimentos feitos por outras companhias, como a Brandon Capital (atuante no setor de capital de risco), a CSL Limited (do ramo da biotecnologia), além do governo federal australiano e fundos públicos de pensão.Spray nasal de empresa australiana pode impedir avanço da Covid-19 em pacientes em tratamento. Imagem: Reprodução/PixabayVale lembrar que a Austrália é um dos países com maior controle da Covid-19. Segundo informações divulgadas pela rede Al-Jazeera nesta manhã, o percentual de novas contaminações e mortes confirmadas pela doença caiu para dígitos singulares no país. Na cidade de Victoria, apenas cinco novos casos foram registrados, sendo que, destes, três resultaram em óbito. New South Wales, por outro lado, não registrou nenhum novo caso nos últimos dois dias.

Devido à imposição do isolamento social e restrições de convivência logo no início da pandemia, o impacto do novo coronavírus na Austrália e sua vizinha Nova Zelândia foram consideravelmente menores do que a maioria dos países. Enquanto isso, no Brasil…Por aqui, as notícias mais recentes envolvem a vacina CoronaVac, desenvolvida e testada pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Atualmente na fase 3 de suas pesquisas clínicas, a medicação teve seus testes ampliados para mais 4 mil voluntários. E, segundo declarou o governador de São Paulo, João Dória (PSDB-SP), na última sexta-feira (25), quatro novos centros de pesquisa localizados em Barretos (SP), Pelotas (RS), Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS) receberão doses da CoronaVac para testes em voluntários.Vacina Coronavac deve ser disponibilizada até dezembro. Imagem: Divulgação/Governo de SP”Lembrando que a vacina do Butantan, a CoronaVac, juntamente com o laboratório Sinovac, já vem sendo testada em 12 centros de excelência em cinco estados, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e no Paraná”, disse Doria.Com a ampliação, a expectativa do governo é que o processo de aprovação da vacina, que conta com o apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), seja mais acelerado. Segundo Doria e a diretoria do Butantan, a vacina deve começar a ser oferecida ao público a partir de dezembro de 2020.Fonte: CNN Brasil/ Al-Jazeera

 

Fonte: OlharDigital