Novos processadores da Intel serão focados em internet das coisas

Robôs de serviços de saúde, processos industriais automatizados, cidades inteligentes e toda uma gama de produtos que utilizam a internet das coisas (IoT), estão na mira da Intel. A empresa deu, na última quarta-feira (23), detalhes sobre o desempenho de sua 11ª geração de processadores e revelou sua expectativa em atingir um tipo de mercado que busca recursos personalizados para cenários com computação de ponta. Veja também: Intel recebe permissão dos EUA para retomar negócios com a HuaweiIntel lança a 11ª geração de processadores da família CoreIntel tem 20 GB de documentos internos vazados no site Mega

Segundo comunicado feito pela companhia, produtos como Atom x6000E Series, Pentium, Celeron N e J Series trarão para consumidores de alta tecnologia uma segurança baseada em inteligência artificial, segurança funcional e recursos que funcionam em tempo real. A expectativa da Intel é que o mercado de ponta seja uma oportunidade de US$ 65 bilhões em silício até 2024 (cerca de R$ 368 bilhões, em conversão atual).

Atom x6000E Series, Pentium, Celeron N e o J Series oferecem gráficos quase três vezes melhores que a geração anterior. Imagem: Intel/DivulgaçãoMaior processamento para IoTOs quatro processadores da 11ª geração seriam uma opção aprimorada para aplicações que utilizam a IoT e que precisam de processamento em alta velocidade, visão computacional e baixa latência. A companhia garante que seus novos produtos trazem um ganho de desempenho de até 23% em cargas de trabalho de encadeamento único e de 19% nas de multi-encadeamento.Tanto o Atom x6000E Series, Pentium, Celeron N e o J Series oferecem gráficos quase três vezes melhores que a geração anterior, um mecanismo de descarregamento em tempo real dedicado,  armazenamento aprimorado, além do Intel Programmable Services Engine, com gerenciamento de dispositivos remotos dentro e fora da banda. Eles também suportam componentes de rede sensíveis de 2,5 GbE e resoluções de até 4K a 60 quadros por segundo, mais de três monitores e segurança baseada em hardware integrado.

De acordo com a Intel, isso é possível graças a combinação das melhorias do processo SuperFin da 11ª Geração com diversos aprimoramentos arquitetônicos e otimizações no software OpenVINO, que trouxeram inferências 50% mais rápidas, por segundo, em comparação ao processador anterior, da 8ª geração. Os testes foram feitos usando o modo CPU, mas também há resultados que mostram interferências até 90% mais rápidas utilizando o modo acelerado por GPU. ParceriasAté o momento, a Intel afirma ter mais de 1.200 parceiros, incluindo empresas como Accenture, Bosch, ExxonMobil, Philips, Verizon e ViewSonic. Juntas, as companhias teriam mais de 15 mil implantações para clientes finais.A fabricante de processadores também garantiu ter pelo menos 90 outras empresas parceiras comprometidas em fornecer soluções para sua 11ª geração e mais 100 contratadas para o Intel Atom x6000E Series, Pentium, Celeron N e J Series. Fonte: VentureBeat

 

Fonte: OlharDigital