Residencial de arquitetura contemporânea resgata valores do período modernista

Quando decidiu lançar o Vigo, em dezembro de 2019, o arquiteto Luis Napoleão, CEO da Invescon, empresa de investimentos imobiliários com sede em Curitiba, sabia que seu retorno ao concorrido mercado de empreendimentos residenciais precisaria fazer sentido não somente para ele, mas para outras famílias que buscam um upgrade de moradia e possuem grau de exigência no patamar da exclusividade.Disposto a entregar um endereço realmente diferenciado e pautado por bons argumentos, Napoleão comprou um terreno localizado na Rua Saldanha Marinho, 1850, a poucos metros da Praça da Espanha, na charmosa microrregião denominada “Batel Soho” servida por comércio funcional, restaurantes e bares conceituados da capital paranaense, e convidou José Luiz Smolka, expoente da arquitetura em Curitiba – responsável pelo harmônico Nomaa Hotel – para desenhar um empreendimento que fosse referência imobiliária de alto padrão, mas, sobretudo, oferecesse a melhor solução de funcionalidade para seus moradores.Versado com entusiasmo, o Vigo, torre única composta por apenas nove unidades (372 metros quadrados privativos), ganhou contornos modernistas com grandes vãos e abas de concreto aparente, esquadrias minimalistas de alto rendimento com perfis verticais reduzidos para diminuir a interferência visual e vidros especiais para alcançar equilíbrio térmico e acústico. “O concreto aparente e os brises metálicos amadeirados e ecologicamente corretos conferem toque contemporâneo à edificação”, enaltece Smolka.Fernanda Cassou, arquiteta revelação da nova geração, responsável pelas plantas dos apartamentos do Vigo, especialista em personalidade e identidade, refletiu sobre o que as pessoas buscam hoje em termos de moradia. “O morador pode até escolher montar seu apartamento de forma compartimentada, mas aposto na tendência das grandes aberturas do Vigo, que proporcionam a integração entre espaços e a sensação espacial de uma casa, e não de um apartamento”, sinaliza.Clube privado com caves subterrâneasJayme Bernardo, arquiteto multifacetado, trouxe para o Vigo o conceito de clube privado para as áreas comuns. “Nosso desafio foi trazer um conceito de sofisticação para estes espaços atrelados a um número reduzido de apartamentos, que serão usufruídos por apenas nove famílias”, conta. Entre as soluções encontradas, Jayme destaca a nova forma de pensar as áreas comuns. “Quando elas são mal planejadas representam despesa sem benefício”, alerta. Para o Vigo destacamos espaços relevantes e contínuos, que prezam pela fluidez natural do percurso. Caso do Salão de Festas, por exemplo, unido com o Espaço Gourmet. “Abordamos esse ambiente com uma paleta de cores neutras, que se sobressai em contato com a área externa, através de um grande plano de janelas.Com o pensamento alinhado com o incorporador, Jayme traduz a estética da exclusividade discreta. “Não precisamos de espaços superelaborados para termos o merecido conforto quando chegamos em casa. Para isso basta projetar os ambientes de maneira inteligente”, explica.Responsável por planejar uma das experiências mais apaixonantes do Vigo, as caves subterrâneas com capacidade para armazenar até 300 garrafas por apartamento, Jayme explica como os detalhes são capazes de tornar um empreendimento único. “Esta é uma das áreas que mais me encanta, não só pela originalidade, como pelo benefício em ter algo exclusivo, que geralmente não associamos ao mercado imobiliário. Trabalhamos nesse espaço com paixão”, conta. As caves do Vigo se conectam com o fator surpresa do empreendimento, que entrega a cada morador uma fração de prestigiado terroir na Borgonha, na França, região que produz alguns dos melhores e mais caros vinhos do mundo. “Este ambiente é perfeito para que os moradores guardem os rótulos mais prestigiados para o momento certo e o vinho produzido em seu próprio terroir. Uma grande mesa integra o espaço junto com o lounge. Temos também uma área de apoio que complementa o espaço de forma que tudo o que morador precise esteja à mão, com o aconchego necessário e a iluminação na medida certa”, detalha o arquiteto.SensorialConvicto de que uma casa não é apenas resultado dos profissionais que a constroem, Napoleão apostou na arte como elemento sensorial para os moradores do Vigo. O empresário escalou os irmãos Laura e Guilherme Simões de Assis, da SIM Galeria, para atuarem como curadores de arte do Vigo. As obras escolhidas caracterizam poéticas diversas dentro da arte contemporânea brasileira, com destaque para a obra de José Bechara, que será instalada no Hall de entrada do edifício.Com entrega confirmada para março de 2021, o canteiro de obras do Vigo já pode ser visitado mediante agendamento prévio. Para conferir detalhes sobre a planta bem resolvida e sofisticados acabamentos, a incorporadora também recomenda visita ao apartamento modelo que será apresentado ao mercado no mês de outubro.Website: http://www.vigo1850.com.br

Fonte: Metropoles