Sabesp não esclarece benefício de participar de leilão em Alagoas, e XP recomenda cautela

Com a suspensão do processo de licitação, a XP Investimentos decidiu manter a recomendação neutra tanto para a Sabesp, com preço-alvo de R$ 51 (Imagem: Instagram/ Sabesp)
O Tribunal de Justiça de Alagoas informou ontem (29) a suspensão da licitação para a concessão de serviços de água e esgoto da Região Metropolitana de Maceió. O leilão, que estava previsto para acontecer nesta quarta-feira, foi suspenso por decisão da desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento.
A desembargadora, após acatar o pedido de suspensão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Marechal Deodoro, alegou que existem indícios de irregularidades no processo de privatização da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal). O governo de Alagoas tem 15 dias para apresentar a defesa.
O leilão seria conduzido pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela Secretaria de Infraestrutura de Alagoas. A cerimônia seria realizada na B3 (B3SA3).
No início desta semana, a Sabesp (SBSP3) informou, em comunicado divulgado ao mercado, que apresentou, em parceria com a Iguá, uma proposta para disputar a concessão da Casal. A Equatorial (EQTL3) e a Sonel também mostraram interesse em disputar o ativo.
Com a suspensão do processo de licitação, a XP Investimentos decidiu manter a recomendação neutra tanto para a Sabesp quanto para a Equatorial, com preços-alvos de, respectivamente, R$ 51 e R$ 22.
“Por ora, não consideramos possível avaliar os impactos econômico-financeiros de uma eventual vitória do consórcio Sabesp-Iguá no leilão de Alagoas, assim como no caso de Equatorial”, explicou a corretora.

 

Fonte: MoneyTimes