Sementes misteriosas que chegaram ao Brasil tinham fungos, ácaro e bactérias

Parte dos pacotes com sementes misteriosas que já foram recebidos por moradores de 25 unidades da Federação, incluindo a Bahia, foram colocados em análise. Ao todo 25 dos 258 pacotes relatados já passaram por testes que detectaram três tipos de fungos diferentes, um ácaro vivo, a presença de bactérias em duas amostras e ainda quatro sementes com pragas quarentenárias.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), apenas os estados do Amazonas e Maranhão ainda não registraram casos. As informações são do site Metrópoles.
Os dados foram compartilhados em coletiva de imprensa virtual, na manhã desta terça-feira (6), com a participação de José Guilherme Leal, secretário de Defesa Agropecuária, Carlos Goulart, diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, e José Luis Vargas, diretor de Serviços Técnico do ministério. Na ocasião, o Mapa informou que interceptou 33,7 mil pacotes suspeitos no primeiro semestre de 2020.
Segundo o Carlos Goulart, a entrega não solicitada das sementes pode estar relacionada a um golpe de comerciantes virtuais chamado de brushing (clique aqui para entender o esquema).

 

Neste tipo de fraude, os próprios vendedores acrescentam os pacotes de sementes nas aquisições reais de clientes, para alavancar as plataformas de e-commerce.
O levantamento do ministério já identificou, mas sem revelar, quatro países que enviaram remessas com sementes para o Brasil. De acordo com Goulart, contudo, não há denúncias de comerciantes brasileiros que tenham praticado o esquema.
“Além de entregar as sementes às autoridades, pedimos também que a população não descarte as embalagens”, pede o diretor do departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas. “Com elas, fica mais fácil identificarmos os países remetentes”, explica.

 

Fonte: Correio24horas