Pesquisadores projetam a câmera ultravioleta mais rápida do mundo

Em colaboração com pesquisadores internacionais, a equipe da professora Jinyang Liang, especialista em imagem ultra-rápida do Institut national de la recherche scientifique (INRS), desenvolveu a câmera mais rápida do mundo. Com ela, é possível registrar fótons no ultravioleta (UV) em tempo real. Veja também: Azul implementa sistema de higienização com raios ultravioletaQual a eficiência da luz ultravioleta contra o coronavírus?Cientistas detectam raro flash ultravioleta após explosão de supernovaRobô do MIT esteriliza ambientes com luz ultravioletaLG lança fones de ouvido com esterilização ultravioletaAstrônomos encontram arco de luz ultravioleta ao redor de Ursa Maior

O processo de captação, chamado de fotografia ultra-rápida compactada (CUP), captura todo o processo em tempo real e em alta resolução com apenas um clique. Em seguida, a informação espacial e temporal é comprimida em imagem para, em seguida, ser convertida em vídeo usando um algoritmo de reconstrução.

Até então, a técnica estava limitada às ondas visíveis e de infravermelho e, portanto, era um fenômeno limitado aos eventos físicos. Com essa criação, o processo vai além. Dispositivo consegue captar todo o processo em tempo real e com apenas um clique. Foto: Jinyang Liang”Muitos acontecimentos que ocorrem em escalas de tempo muito curtas também são registrados em uma escala espacial muito pequena. Para vê-los, você precisa medir comprimentos de ondas mais curtas. Fazer isso em intervalos de ultravioleta ou mesmo de raio-x é um passo notável em direção a esse objetivo”, declarou Jinyang Liang, que comandou o estudo.

Para realizar o feito, os pesquisadores projetaram um sistema UV-CUP compacto. O dispositivo apresenta um fotocátodo padronizado, usado para detectar e codificar simultaneamente a luz negra. “Como uma câmera padrão, nossa tecnologia é passiva. Ela não produz luz, só recebe. Portanto, nosso fotocátodo tinha que ser sensível aos fótons emitidos como luz ultravioleta”, comenta Liang.Reconstrução de imagemA pesquisadora também fala sobre como acontece a geração das imagens após a captura. “Tirar fotos é apenas a primeira metade do trabalho. Ela também precisa ser reconstruída”. Para fazer isso, os pesquisadores desenvolveram um novo algoritmo em parceria com a Universidade de Boston.”Em vez de resolver o problema como apenas um, o algoritmo divide a reconstrução em pequenos problemas que são resolvidos individualmente”, explica Liang. Com inovações em hardware e software, o UV-CUP tem uma velocidade de imagem de 0,5 trilhão de quadros por segundo. Além disso, é possível produzir vídeos com 1.500 frames em qualquer formato.Agora, o dispositivo desenvolvido será enviado ao laboratório de pesquisas SOLEIL Synchrotron na França para que seja possível visualizar diversos fenômenos. Os pesquisadores planejam utilizá-lo para capturar a geração de plasma laser, fenômeno essencial para a dedução de certas propriedades de materiais, e a fluorescência UV, importante em imagens médicas para identificar biomarcadores ligados a doenças.Via: Phys

 

Fonte: OlharDigital