Tesouro Direto: taxas de títulos públicos operam sem direção definida nesta quinta-feira

SÃO PAULO – Os prêmios pagos pelos títulos públicos negociados via Tesouro Direto operam sem direção definida na manhã desta quinta-feira (8). Os papéis indexados à inflação tinham leve queda, enquanto as taxas dos prefixados subiam.
O título prefixado com vencimento em 2026 pagava uma taxa de 7,46% ao ano, ante 7,44% a.a. na tarde de quarta-feira (7). O prêmio oferecido pelo mesmo papel com juros semestrais e prazo em 2031, por sua vez, avançava de 7,84% para 7,88% ao ano.

Entre os papéis indexados à inflação, o com vencimento em 2035 pagava uma taxa anual de 4,23%, frente 4,26% a.a. ontem. Já o juro pago pelo Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2055 era de 4,33%, frente 4,34% a.a. anteriormente.
Confira os preços e as taxas dos títulos públicos nesta quinta-feira (8):
Fonte: Tesouro Direto
Cena doméstica
Entre os destaques do dia, os investidores monitoram a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que a palavra final da Economia compete a ele e ao ministro Paulo Guedes, contradizendo afirmações anteriores de que só quem decidia era Guedes. Ele também reafirmou que tem uma “lealdade mútua” com o ministro.
O mercado acompanha também as informações de que a disputa pelo comando da Câmara dos Deputados a partir de 2021 está atrapalhando a instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO).
Segundo o jornal Estado de S. Paulo, existe um receio de que falte base legal para o governo pagar suas despesas a partir de janeiro.
Outro destaque é a declaração feita pelo presidente Bolsonaro, durante cerimônia de lançamento do programa Voo Simples, sobre a Operação Lava Jato. Ele disse que acabou com a operação porque, segundo ele “não há mais corrupção no governo”.
A declaração foi uma resposta às críticas de lavajatistas por ter se aproximado de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que se posicionam contrários à operação tocada pelo ex-juiz Sérgio Moro, de acordo com o Estadão.
Na agenda de indicadores domésticos, as vendas no varejo cresceram 3,4% em agosto na comparação com julho, acima da expectativa dos economistas consultados pela Bloomberg, de alta de 3% na comparação mensal.
Com o resultado, o setor atinge o maior patamar de vendas da série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), iniciada em 2000, ficando 2,6% acima do recorde anterior, de outubro de 2014.
No acumulado do ano, o setor registra menor ritmo de queda (-0,9%), enquanto nos últimos 12 meses, acumula crescimento de 0,5%, após três meses de estabilidade.⠀
EUA no radar
Na cena externa, as atenções recaem sobre os Estados Unidos, onde os investidores seguem repercutindo o mini-pacote de estímulos econômicos anunciado ontem pelo presidente americano Donald Trump.
A agenda dos EUA também traz os dados de pedidos por seguro-desemprego, que somaram 840 mil na semana passada. O número, divulgado nesta manhã pelo Departamento de Trabalho do país, veio um pouco maior do que a mediana das expectativas dos economistas consultados pela Bloomberg, que apontava para 820 mil requisições do benefício no período
Atenção ainda para o debate dos candidatos a vice-presidente dos EUA ontem à noite, em que a senadora democrata Kamala Harris, candidata a vice-presidente na chapa de Joe Biden, se saiu melhor contra o republicano Mike Pence.
O encontro, que foi mais civilizado que o da semana passada entre Trump e Biden, focou bastante nos impactos da pandemia, a Kamala aproveitou para afirmar que o atual governo escondeu da população que já sabia da Covid-19 em janeiro.

Fonte: InfoMoney