Aeroporto de Florianópolis ganha reconhecimento facial no embarque

A partir dessa quinta (8), o Aeroporto Internacional de Florianópolis, em Santa Catarina, se tornou o primeiro no Brasil a ter sistema de reconhecimento facial no embarque de passageiros. Ainda em fase experimental, o projeto Embarque Seguro, se aprovado, será implantado nos principais aeroportos do país.Para realizar os testes, um aplicativo foi desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) para o cadastramento da foto do passageiro (ela será vinculada ao CPF). A verificação da identidade do viajante será feita através do banco de dados do Departamento Nacional de Trânsito (segundo o Serpro, Interpol e Polícia Civil, entre outros órgãos, se juntarão ao sistema, futuramente).O tempo de espera para o embarque deve diminuir, com o novo sistema.Fonte:  Floripa Airport/Divulgação Por enquanto, apenas passageiros da companhia aérea Latam que desejarem experimentar o Embarque Seguro poderão usar o sistema de reconhecimento facial. A conferência da identidade de quem embarca será feita no momento do check-in eletrônico com a vinculação de uma foto ao bilhete aéreo. Ao embarcar, não será preciso apresentar nenhum documento.UnificaçãoO governo espera que o novo sistema reduza as filas, além de registrar o trajeto do viajante e com quem ele compartilhou o voo. Em tempos de pandemia de covid-19, isso vai facilitar o rastreamento de passageiros infectados (ou que tenham passado por localidades com focos de doenças) pelas autoridades sanitárias.Segundo o Serpro, o projeto unificou nacionalmente o sistema biométrico para a identificação do passageiro e embarque automático nos portões eletrônicos, “possibilitando checar e validar, com rapidez e segurança, a identidade do passageiro a partir do cruzamento com diferentes bases de dados governamentais”.À frente do projeto está a Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura. “As autoridades públicas passam agora a ser responsáveis pela checagem das informações dos passageiros, a partir do cruzamento da biometria com dados na base do sistema, e não mais o funcionário da companhia aérea na hora do embarque”, disse o ministro Tarcísio Gomes de Freitas.

Fonte: Tecmundo