Primeiro semestre tem aumento de quase 4% em movimentação de cargas nos portos do Brasil

Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), os primeiros sete meses de 2020 registraram uma movimentação de 638,6 milhões de toneladas de cargas nos portos brasileiros. Esse número representa um aumento de 3,9% em relação à mesma época do ano passado, quando 614,7 milhões de toneladas de produtos foram transportadas maritimamente.Somente em julho, último período analisado, o volume cargueiro chegou a quase 100 milhões de toneladas (0,3% a mais que o sétimo mês de 2019). Vale ressaltar que janeiro foi o único mês do ano que registrou números negativos (retração de 15,2% em relação a dezembro); ou seja, mesmo diante da pandemia, os resultados do setor foram positivos.Do total avaliado, 69,8% das cargas correspondem à navegação de longo curso, enquanto o restante diz respeito à cabotagem – tráfego entre portos marítimos sem perder a costa de vista. Os portos de administração privada tiveram um fluxo de movimentação de 417,3 milhões de toneladas, 65,3% de toda a carga, enquanto os terminais públicos transportaram 221,4 milhões de toneladas.Ranking de portos e produtosEntre os terminais que mais movimentaram cargas em 2020, o de Ponta da Madeira (MA), gerido pelo setor público, é quem encabeça a lista, com um volume de 98,5 milhões de toneladas (15,4% do total), seguido pelo Porto de Santos, da iniciativa privada, com 65,9 milhões de toneladas (10,3%).Quando o assunto é o tipo de carga transportada, o destaque fica com os granéis sólidos, responsáveis pela movimentação de 386,5 milhões de toneladas. Enquanto isso, os líquidos e gasosos representaram 157,1 milhões de toneladas. Já os contêineres contabilizaram 64,8 milhões de toneladas e a carga geral somou 30,2 milhões de toneladas.A importância do setor para a economiaPara se ter ideia, o setor de transportes é um dos grandes empregadores do Brasil. Ao todo, são cerca de 200 mil empresas do ramo e 2,5 milhões de pessoas trabalhando com carteira assinada. Em 2018, o Produto Interno Bruto (PIB) dos segmentos de transporte, armazenagem e correio teve um crescimento de 2,2%, enquanto o PIB nacional evoluiu apenas 1,1% naquele ano.Esses dados comprovam a importância dos transportes para movimentar toda a indústria pelo País através dos meios rodoviário, ferroviário, aéreo e aquático (marítimo ou fluvial). E é por meio das empresas de transportes, equipamentos e modais que essa operação nacional é possível.Assim, para que isso ocorra da forma mais produtiva e segura, também se deve pensar nos equipamentos que auxiliam na realização dessas atividades, itens que são a essência da Polifitema. Desde ganchos e correntes a cintas de amarração de carga, a empresa dispõe de uma linha de produtos exclusivos para a movimentação de cargas, visando à praticidade, conforto e segurança.Website: http://www.polifitema.com.br/

Fonte: Metropoles