Névoa cerebral: alguns pacientes da covid-19 têm sequela, dizem médicos

Conforme uma reportagem publicada no domingo (11) no The New York Times, um número crescente de pessoas com sintomas evidenciam que a covid-19 pode causar sequelas na memória e na concentração, entre elas déficits cognitivos que podem representar desafios para a sociedade, mesmo após o final da pandemia.Buscando entender o impacto desses sintomas na vida das pessoas, o jornal entrevistou diversos pacientes que se recuperaram após terem sido hospitalizados com covid-19, mas se sentiram seriamente perturbados por problemas neurológicos.O primeiro entrevistado, um especialista em vascularização chamado Michael Reagan, revelou que, depois de contrair o coronavírus em março,  perdeu toda a memória de suas férias de 12 dias em Paris, apesar de a viagem ter ocorrido apenas algumas semanas antes da doença.Curado da covid-19, Reagan afirmou ao NYT: “Vejo todas as minhas fotos de Paris, tentando me lembrar. Fomos ver um show da Madonna, fomos à Torre Eiffel, fomos às Catacumbas. E não me lembro de nada, absolutamente nada”. Como não consegue encontrar palavras, ele diz se sentir um completo idiota.Névoa cerebral da covid-19Fonte: Nik Shuliahin/UnsplashFonte:  Nik Shuliahin/Unsplash O fenômeno, ainda em fase de inicial de estudos, está se tornando conhecido como névoa cerebral da covid-19. Seus sintomas são preocupantes e incluem perda de memória, confusão mental, ausência de foco, tontura e dificuldade para entender as palavras do dia a dia.De acordo com o NYT, um estudo conduzido por pesquisadores franceses em agosto e publicado no Journal of Infection acompanhou 120 pacientes que haviam sido hospitalizados por covid-19 e descobriu que, após 1 mês da alta, mais de um terço deles estava sofrendo de perda de memória e mais de um quarto relatou problemas de concentração.Os cientistas ainda não sabem a causa da névoa cerebral. Alguns acreditam que a doença ocorra quando a resposta imunológica ao vírus não “desliga” completamente; já outros dizem se tratar de uma consequência da inflamação dos vasos sanguíneos cerebrais.

Fonte: Tecmundo