Estado de São Paulo não vai politizar vacina contra Covid-19, diz Doria

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (16/10) que não vai politizar o debate em relação ao desenvolvimento da vacina contra a Covid-19 e que espera que o governo federal tenha a mesma a atitude.“Da  parte do governo de São Paulo, não há haverá nenhuma politização no tema das vacinas, como não houve também na questão da pandemia (…) O governo de São Paulo não vai politizar esse tema, e espera que o governo federal não o faça,  em nome de milhões de brasileiros que precisam da vacina”, afirmou o governador em uma coletiva para anunciar o plano de retomada da economia em São Paulo.Doria lembrou que São Paulo e Rio de Janeiro foram os primeiros estados a fazer a quarentena, sob críticas do governo federal e do presidente Jair Bolsonaro. “São Paulo não é negacionista, compreendeu a dimensão e o perigo do coronavírus desde o início”, disse.Mais sobre o assuntoSaúdeDoria garante 46 milhões de doses da vacina contra Covid-19 até dezembroO contrato de US$ 90 milhões com a chinesa Sinovac prevê 60 milhões de doses até fevereiro e transferência da tecnologia para o ButantanBrasilDoria afirma que haverá vacina de Covid-19 para todos em SP até fevereiroO governador ressaltou ainda que o governo estadual já possui um plano alternativo de vacinação, caso a distribuição não seja feita pelo SUSSaúdeDoria quer R$ 1 bi para desenvolver vacina chinesa contra a Covid-19Governador afirmou que Instituto Butantan, de São Paulo, espera receber mesmo investimento prometido pelo governo federal à FiocruzSaúdeOMS reage a comentário polêmico de Bolsonaro: “Vacinas salvam vidas”Em entrevista coletiva nesta sexta (4/9), diretor-geral comentou fala do presidente de que não poderia “obrigar ninguém” a se vacinar PolíticaSecom faz campanha com frase de Bolsonaro contra obrigatoriedade de vacinasO presidente descartou obrigatoriedade de imunização em massa contra o coronavírus ao responder a uma apoiadora que quer proibir vacinasFlávio Dino e João DoriaJoão Doria, governador de São Paulo, e Flávio Dino, governador do MaranhãoFOTOS: ED FERREIRA/AE e MICHAEL MELO/METROPOLESJOÃO DORIA VOTA EM SÃO PAULOJoão Doria, mandatário do estado de São PauloALES VALQUER/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚJoão DóriaO político criticou, principalmente, o fluxo de pessoas nas praiasLeo Franco / AgNewsJOÃO DORIA É EMPOSSADO GOVERNADOR DE SÃO PAULOO governador de São Paulo, João Doria (PSDB)NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDOJoão Doria entrega medalhas para pessoas que ajudaram em SuzanoJoão Doria entrega medalhas para pessoas que ajudaram em SuzanoGERSON DE OLIVEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO0 Doria disse ainda que o Instituto Butantan, que participa do desenvolvimento da CoronaVac em conjunto com o laboratório chinês Sinovac, é fornecedora do Ministério da Saúde nos últimos 30 anos. Em agosto, o anúncio da parceria com os chineses foi criticada pelo presidente Jair Bolsonaro, ao citar “a vacina que um governador resolveu acertar com outro país”. “Será que agora o governo federal vai negar a vacina aos brasileiros que precisam ter a vacina para terem a sua vida preservada? No que depender do governo do Estado de São Paulo, não”, afirmou o governador, possível adversário de Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2022 .

Fonte: Metropoles