Bolsonaro sobre Doria: “Última cartada dele na busca de popularidade”

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), tenta recuperar popularidade ao oferecer ao governo federal a vacina que o estado, em parceria com o Instituto Butantan, desenvolve com o laboratório chinês Sinovac Biotech.Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (21/10), na cidade de Iperó (SP), o chefe do Executivo tornou a criticar o político tucano e relembrou episódio de campanha, no qual Doria se associou a ele no segundo turno das eleições, quando venceu Márcio França (PSB).“Eu não converso com uma pessoa que usou meu nome por ocasião das eleições e, poucos meses depois, começou a me atacar, visando me desgastar e, assim atrapalhando a política brasileira, pensando numa futura eleição. Não dá para conversar com esse tipo de gente, que não tem nenhuma responsabilidade com a vida do próximo ou consigo próprio”, acusou.Flávio Dino e João DoriaJoão Doria, governador de São Paulo, e Flávio Dino, governador do MaranhãoFOTOS: ED FERREIRA/AE e MICHAEL MELO/METROPOLESJOÃO DORIA VOTA EM SÃO PAULOJoão Doria, mandatário do estado de São PauloALES VALQUER/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚJoão DóriaDoria falou que Pazuello agiu em nome da saúde e da ciênciaLeo Franco / AgNewsJOÃO DORIA É EMPOSSADO GOVERNADOR DE SÃO PAULOO governador de São Paulo, João Doria (PSDB)NILTON FUKUDA/ESTADÃO CONTEÚDOJoão Doria entrega medalhas para pessoas que ajudaram em SuzanoJoão Doria entrega medalhas para pessoas que ajudaram em SuzanoGERSON DE OLIVEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO0Mais sobre o assuntoPolíticaAo contrário da cloroquina, Bolsonaro diz que vacina deve ter comprovaçãoPresidente não apresentou argumentos sobre o porquê de defender o remédio, mesmo sem eficácia comprovada contra a Covid-19BrasilGovernadores criticam Bolsonaro: “Decisão de comprar vacina não pode ser política”Um dia antes, ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, em reunião virtual com governadores, garantiu a compra de 46 milhões de dosesPolítica“Já mandei cancelar. O presidente sou eu”, diz Bolsonaro sobre CoronavacChefe do Executivo disse não abrir mão da própria autoridade e que governo não comprará vacinas chinesasPolíticaBolsonaro sobre vacina chinesa: “O povo brasileiro não será cobaia”Presidente ressaltou que não gastará um “bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou a fase de testes”“Busca de popularidade”A pesquisa mais recente do Instituto Datafolha mostra que a rejeição a Doria chega a patamares de 39%, enquanto a aprovação fica em 21%. Outros 39% acham a gestão “regular”.“Parece que é a última cartada dele na busca de popularidade ou resgatar tudo aquilo que ele perdeu durante a pandemia, e grande parte a decisões tomadas pelo senhor João Doria não batiam com aquelas que eu gostaria de tomar caso não fosse tolhido pela Justiça”, afirmou, referindo-se à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de delegar a gestores locais as medidas de isolamento contra o coronavírus.Questionado sobre a divergência de versões quanto ao protocolo de intenções, Bolsonaro se irritou com uma repórter e novamente atacou Doria.“Não me trate dessa maneira, senão acaba a entrevista. Eu tenho responsabilidade, coisa que você não está tendo aqui. Não é dessa maneira que você tem que perguntar para uma autoridade uma questão séria que mexe com vidas. Houve uma distorção, por parte do João Doria, no tocante ao que ele falou”, finalizou.

Fonte: Metropoles