Inquérito do MPT vai apurar morte de 3 funcionários após caminhão explodir

O Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia vai investigar as causas e responsabilidade trabalhistas do acidente que deixou três funcionários mortos depois da explosão de um caminhão na zona rural de Cocos, no extremo oeste baiano, nesta segunda-feira (19).

Segundo as primeiras informações, o veículo foi encontrado ainda em chamas após choque contra uma árvore em uma estrada de chão, na tarde da segunda. As vítimas foram atiradas para fora do caminhão e não resistiram aos ferimentos. O MPT irá solicitar informações da empresa Empreendimentos, Projetos e Construções (EPCL), que presta serviços terceirizados.
Um procurador será designado para presidir o inquérito e vai analisar o caso a partir de dados fornecidos pelos órgãos de fiscalização, como Departamento de Polícia Técnica, Corpo de Bombeiros e principalmente a Superintendência Regional do Trabalho (SRT-BA).
A partir daí, o MPT vai identificar se houve descumprimento de normas trabalhistas e identificar os responsáveis, que poderão ter que reparar os danos por meio de um ajuste de conduta ou uma ação judicial.

A PM informou que as vítimas, faziam um tipo de trabalho que utiliza dinamites, o que pode explicar a explosão. Ainda de acordo com a polícia, o responsável pela empresa seria ouvido, assim como moradores da região onde a explosão ocorreu.
Os três homens, Maicon de Jesus, Fredson Rocha e Anderson Ângelo, faziam parte do quadro da empresa Empreendimentos, Projetos e Construções (EPCL), prestadora serviços para a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba).
Em nota, a EPCL informou que “todo o suporte necessário está sendo prestado às famílias dos nossos colaboradores, inclusive com acompanhamento psicológico”. A empresa também afirmou que “segue contribuindo com as investigações para que sejam esclarecidas, o mais rápido possível, as causas do ocorrido”. Já a Coelba informou que “lamenta o acidente envolvendo três colaboradores da empresa EPCL, prestadora de serviço contratada para obra no município de Cocos, no Oeste da Bahia. A companhia seguirá acompanhando o caso”.

Fonte: Correio24horas