Operadora Americanet quer levar 5G para 500 municípios de SP

A Americanet, operadora de telefonia e internet, pretende levar o 5G para 500 municípios do estado de São Paulo com menos de 100 mil habitantes. Para tanto, a empresa disputará as frequências com operadoras maiores no leilão previsto para o ano que vem. Caso saia vitoriosa, o espectro será compartilhado com outros pequenos provedores.Segundo o CEO da Americanet, Lincoln Oliveira, essa é a forma mais rápida de levar a rede de quinta geração para localidades menores, visto que os pequenos provedores já teriam a infraestrutura necessária. Como essas empresas trabalham na rede de último quilômetro (acesso do usuário final à rede da operadora), seria possível substituí-la pela FWA (Acesso Wireless Físico) para o uso do 5G.Disputa pela tecnologia  Pexels/Reprodução No entanto, a participação desses provedores no próximo leilão de frequência da Anatel tem gerado muitos debates. Isso porque grandes operadoras afirmam que não precisam dos ISPs para expandir o 5G e que seria mais proveitoso não dividir o espectro.Em uma live realizada pela TeleSíntese, Oliveira demonstrou suas preocupações caso o 5G seja restrito às grandes operadoras. Em sua opinião, isso tornaria a competição ente a fibra e a banda larga móvel desleal, já que os custos para conectar uma residência com fibra óptica são mais elevados para os provedores de internet regionais do que para empresas maiores.O executivo ainda afirmou que os PPPs (Prestadoras de Pequeno Porte) podem implementar a tecnologia no interior do país antes mesmo que as grandes operadoras finalizem o processo nas capitais. “As grandes vão colocar dinheiro nas grandes cidades, as pequenas, nas pequenas cidades”, afirmou o empresário.O leilão das frequências para a implementação do 5G no Brasil já foi adiado duas vezes devido à pandemia de covi-19. A previsão agora é que o processo aconteça entre abril e maio de 2021, segundo informações do ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Fonte: Tecmundo