Bons fundamentos da Transmissão Paulista vão começar a chamar atenção de investidores, diz Ágora

Na avaliação da Ágora Investimentos, a Transmissão Paulista tem potencial para crescer bastante reforçando os investimentos em seus ativos mais antigos (Imagem: LinkedIn/Transmissão Paulista)
A Ágora Investimentos alterou a recomendação da Transmissão Paulista (TRPL4) de neutra para compra. Segundo os analistas Francisco Navarrete e Ricardo França, a ação, mesmo descontada, está mais “esquecida” pelos investidores.
“Enquanto as TIRs (taxas internas de retorno) de distribuidoras e geradoras compactaram de volta aos níveis quase pré-covid 19, este não foi o caso para Transmissão Paulista e outras transmissoras”, destacaram.
A Ágora acredita que, em razão da baixa volatilidade da Transmissão Paulista, os bons fundamentos da companhia vão começar a chamar a atenção dos investidores. Pensando nisso, a corretora manteve o preço-alvo de R$ 32 para o papel.
Além disso, a Ágora projeta um aumento de dividendos em 2020 com a revisão tarifária de 2018.
“A Transmissão Paulista teve uma grande vitória neste ano com a revisão tarifária de 2018 (adiada para junho de 2020), quando foi concedido o “Ke” (custo do capital próprio) da parcela da RBSE (ressarcimento de ativos não depreciados de concessões renovadas sob MP-579). Isso por si só causou a contabilização de cerca de R$ 900 milhões em receitas não caixa no segundo trimestre de 2020 para o ajuste retroativo para este componente (a ser recebido em 3 anos)”, comentaram os analistas.

Pelos cálculos da corretora, a companhia deve pagar um dividendo de R$ 1,30 por ação no ano.
Investimentos
Na avaliação da Ágora, a Transmissão Paulista tem potencial para crescer bastante reforçando os investimentos em seus ativos mais antigos, algo que é considerado menos relevante para grande parte das outras transmissoras.
A corretora destacou que 2020 já representa o pico do ciclo de investimentos em projetos novos da companhia, com R$ 1,4 bilhão implantado até o segundo trimestre. A maioria dos projetos da empresa (12, no total) está programada para começar até 2021.

 

Fonte: MoneyTimes