17.7 C
Munique

10769 Policia Civil Identifica Autor De Duplo Latrocinio Em Itaici

Leitura obrigatória



Home › Notícias › Polícia › Polícia Civil identifica autor de duplo latrocínio em Itaici  
Polícia Civil identifica autor de duplo latrocínio em Itaici



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Publicado em 03/02/2015 às 11h13Leandro Povinelli – [email protected]
Suspeito já havia praticado um crime parecido em 2007
Leandro Povinelli

*

Leandro Povinelli

[email protected]



O Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil de Indaiatuba conseguiu esclarecer, nesta segunda-feira, o caso de duplo latrocínio registrado no município no dia 13 deste mês. A revelação dos fatos, porém, só aconteceu na quinta-feira, em uma coletiva de imprensa organizada pelo delegado Luiz Fernando Dias de Oliveira.



O crime, ocorrido na Rua Joaquim Pedroso de Alvarenga, no bairro Itaici, vitimou os companheiros de trabalho Aníbal Kreiton, de 74 anos, e Oderli Cesar Ruesch, de 51 anos, mortos com golpes de marreta e faca. A esposa de Kreiton, uma dona de casa de 49 anos, também foi ferida durante a ação criminosa, mas conseguiu sobreviver e foi levada ao pronto-socorro do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Haoc). Segundo a Polícia Civil, ela foi a responsável por reconhecer o suspeito, que já teve a prisão temporária solicitada, mas continua foragido.



“Desde segunda-feira nós já temos a qualificação do autor desse duplo latrocínio. No início do caso nós começamos a realizar as diligências e ouvimos 15 testemunhas, todas com algum tipo de envolvimento com o local, desde vizinhos até pessoas que foram até a cena do crime”, informou o delegado.



Ainda de acordo com o policial, foi relatado pela vítima que certa quantia em dinheiro havia sido subtraída da casa, incluindo folhas de cheque de pessoas que teriam negociado com Aníbal.

“Mais precisamente, dois desses cheques foram sustados por seus titulares, já que eles não tinham a certeza de que o documento estivesse na casa após os fatos. Essas testemunhas, então, procuraram a Polícia Civil e exibiram a microfilmagem dos cheques, que, surpreendentemente, estavam preenchidos nominalmente a duas pessoas, nos valores de R$ 100 mil e R$ 30 mil, sendo depositados em uma agência bancária em Salinas, Minas Gerais, para uma pessoa que possui uma conta em Taiobeiras, no mesmo Estado, e outro beneficiário, que possui uma conta corrente aqui em Indaiatuba”, disse o delegado.



Em posse dos nomes nos cheques, a polícia conseguiu avançar nas investigações, identificando que, uma das beneficiárias, era uma jovem de 25 anos que já havia sido detida pelo crime de furto qualificado no começo deste ano.



“Dando prosseguimento ao trabalho, conseguimos levantar o endereço dela e fomos atrás para que ela pudesse vir até a delegacia, momento em que descobrimos que, desde o dia 13 de janeiro, dia em que ocorreu o crime, essa pessoa havia voltado para Minas Gerais com seu marido, que também esteve na cidade, indo embora no dia 13”, contou Oliveira. “A descrição dele, no entanto, nos chamou muito a atenção porque era muito semelhante à descrição dada pela vítima, dos detalhes que ela havia conseguido visualizar no dia do crime. Com isso, conseguimos obter uma foto do suspeito e levamos até a sobrevivente, que reconheceu imediatamente o homem que entrou em sua casa, anunciou o roubo e desferiu os golpes de marreta”.



Com a identificação do suspeito concluída, a Polícia Civil busca uma forma de localizar o autor do crime, que, segundo o delegado, pode estar na região norte de Minas Gerais ou no sul da Bahia.

“Ouvimos familiares que confirmaram que ele tem o perfil de uma pessoa dissimulada, de uma pessoa mentirosa e que não goza de confiança. Já temos o reconhecimento pessoal dele, a confirmação da família de que ele foi embora no dia dos fatos, sem nenhuma justificativa, temos a informação de que no dia do crime ele não compareceu ao local de trabalho, enfim, temos elementos mais do que suficiente para representar pela prisão temporária do suspeito e também de sua esposa, que retornou com ele a Minas Gerais. Para nós a prisão dela se faz necessária para o esclarecimento cabal dos fatos, para saber se, exatamente, ela tem algum tipo de envolvimento, já que ela fugiu com o autor e demonstrou uma tendência criminosa”, finalizou o delegado.



Outro crime

Para o SIG, a prisão do suspeito e a condução do mesmo para Indaiatuba irá auxiliar no esclarecimento de outro crime, ocorrido no ano de 2007, no Conjunto Habitacional Lúcio Artoni, quando um ajudante geral de 42 anos foi morto a facadas dentro de seu apartamento.



“Esse mesmo rapaz que cometeu o duplo latrocínio fugiu de Indaiatuba em 2007 depois de cometer outro latrocínio”, contou Oliveira. “De acordo com as informações que temos, ele dividia um apartamento com um rapaz, que havia vendido o imóvel por R$ 18 mil. Para conseguir esse dinheiro, porém, o suspeito assassinou o colega de quarto e fugiu com o dinheiro, mas deixou seu documento para trás, possibilitando sua identificação”.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

Mais artigos

- Advertisement -spot_img

Último artigo