22.2 C
Munich

10552 Silvia Em Revista 22 De Novembro De 2014

Must read



Home › Notícias › Silvia em Revista › Sílvia em Revista – 22 de novembro de 2014  
Sílvia em Revista – 22 de novembro de 2014



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Publicado em 08/12/2014 às 12h44Silvia Bolívar – [email protected]
Sílvia Bolívar

[email protected]



Escândalo da Petrobras

Não quero ser chata, mas a mamata na estatal não é de agora, a roubalheira vem de anos. O jornalista Paulo Francis, muito amigo da família desta escriba, foi condenado a pagar uma multa de mais de US$ 100 milhões à Petrobras, em 1996, por dizer que havia corrupção na estatal.

Mas a situação piorou muito de lá para cá. Cargos eram (e são?) loteados entre políticos aliados – esses que apoiam o governo – em postos estratégicos nos quais a corrupção rende excelente grana.

Quanto roubaram do povo brasileiro? Quantos hospitais deixaram de ser construídos, quantos esgotos deixaram de ser feitos, quantas moradias nunca saíram do papel?

E não é só a Petrobras que está loteada. Outras grandes empresas e institutos padecem do mesmo problema.

Daí se entende por que tantos partidos resolvem se aliar para pedir seu quinhão depois.



Funciona assim

Vamos supor que eu queira colocar um tapete de madeira numa ampla empresa que eu hipoteticamente administro. O orçamento, vamos inventar, seria de R$ 100 mil. Vou no vendedor e proponho que o valor seja de R$ 140 mil. Dividiríamos dos R$ 40 mil a mais em partes iguais para nós dois.

Assim acontece com editais oficiais. Assim começa a roubalheira. Em vez de R$ 140 mil ponha mais três zeros e dá para ter uma ideia do bom negócio que é a corrupção.

***

Em prefeituras é bem comum ver preços superfaturados. Na merenda escolar isso é frequente. Recentemente cidades vizinhas foram investigadas pelo Ministério Público por “sobrepreço” de produtos. Peito de frango, que no mercado valeria uns R$ 12 o quilo, passa a custar, nos editais, R$ 26. E por aí vai. Entenderam?



Animais policiais

Na edição de terça, na página Tribuna Animal, a coluna vai mostrar o relato de uma manhã adorável com os cães do Grupo de Operações com Cães (GOC) da Guarda Municipal. O show foi no colégio Montreal e os mais de cem alunos vibraram com as apresentações.



Baby Pet e microchips

A Dog’s Place promove a 2ª Baby Pet de Indaiatuba, que acontecerá no próximo sábado (29) na loja, que fica na Avenida Fábio Barnabé, 4.181, marginal do Parque Ecológico. O evento, que começa às 10 horas, terá desfile de cães, show de agility, sorteio de brindes, venda e doação de filhotes.

Nesta segunda edição a novidade é a implantação de microchips com valores acessíveis. A cada dia, mais pessoas estão se conscientizando da importância desse recurso, principalmente em caso de perda do animal. O microchip é quase do tamanho de um grão de arroz e é feito com um vidro cirúrgico (biovidro), o mesmo que é usado em marca-passos. Tem um circuito eletrônico que possui um código exclusivo, que não pode ser alterado. Quando um animal se perde ou até mesmo é roubado, pode ser identificado facilmente por meio de seu microchip. Para isso, usa-se um scanner portátil que rapidamente identifica o número de identificação do animal e consequentemente os dados de contato dos seus donos.





Lar de Velhos

O Lar de Velhos promove amanhã o 1o Festival de Prêmios. O evento terá entrada gratuita e acontece das 14h às 18 horas, no Ginásio do Esporte Clube Primavera. Os ingressos poderão ser retirados antecipadamente. Cada pessoa poderá entrar no evento portando um único convite e a retirada dos prêmios ocorrerá somente mediante apresentação de documento.

Os convites podem ser retirados em dois locais: no Kokadinha’s Bar, na Rua 24 de Maio, 747, Centro; e no Lar de Velhos, na Rua Pedro Gonçalves, 106. Mais informações pelo telefone 3801-2820.


Guerreira

Nazareth Blume, presidente da Aprai, recebeu muitos amigos na sede da entidade para comemorar seu aniversário na segunda, dia 17. Fizeram questão de dar um abraço na lutadora pelos animais a advogada Danielle Pereira Oliveira, Edenir e Brenda, mãe e filha, e o pastor Chico e Adelaide, entre outros.



Projeto Papai Noel dos Correios

Já começou a retirada de cartas por pessoas bondosas nos Correios. Crianças escrevem para Papai Noel pedindo um presente. Qualquer pessoa pode “adotar” uma cartinha e realizar o desejo de uma criança. Tem pedidos de tudo, desde brinquedos até cestas básicas. Vamos ajudar? Vamos fazer uma criança carente feliz neste Natal? É só ir na agência central dos Correios. É muito bom participar desse projeto.

Atenção: a data de recebimento das cartas é até o dia 5/12. Corram, crianças, escrevam. A data para adoção das cartas termina no dia 12/12. É também nessa data que devem ser entregues os presentes para as cartas “adotadas”.



Corte a Fome

Esta é a 11ª edição do evento idealizado pela Gê Marques, da Gê Beleza Hair & Style ganhou, este ano, o reforço da Faculdade Max Planck, que sediará o evento e ainda envolverá alguns de seus cursos.

Serão feitos cortes gratuitos de cabelo em troca de doação de alimentos direcionada a ONG Bolha de Sabão. Confira todas as atividades na primeira página deste caderno (B1). Os alunos de Medicina Veterinária também participarão do evento orientando a população sobre a importância da vacinação de cães e gatos. Para quem pensa em adotar um animal, a ONG Cães para Adoção, que mantém um canil, também estará no evento trabalhando junto com os alunos a posse responsável dos animais.



Mais respeito

Leitor liga para reclamar de dois médicos que chamam os pacientes de “velhos”. Os médicos são bons, mas precisam ser mais bem educados.



CARTA



Outra realidade

Amiga Jornalista Silvia Bolívar, como a realidade é triste no nosso Brasil. Eu sonho com um Brasil melhor para todos, e que tenha mais respeito com os idosos, cadeirantes e portadores de necessidades especiais.

No Brasil, as pessoas com deficiência não conseguem encontrar muita facilidade na vida delas por causa da falta de acessibilidade. Nem todos os ônibus, por exemplo, tem condições de transportar um cadeirante, pois não há acesso. Táxis também não são todos acessíveis. Muitos lugares públicos, como lojas ou restaurantes, não têm rampa.

É difícil para os cadeirantes até andar nas calçadas.

E os estádios de futebol? É inaceitável não instalar lugares especiais para aqueles que usam cadeira de rodas. Sem contar com a falta de respeito que vemos no trânsito em todas as cidades do Brasil. Os motoristas ignoram as pessoas com deficiência ou os idosos que ficam esperando para atravessar as ruas, isso é falta de educação.

Somos todos seres humanos e se existe faixa de segurança, é porque deve ser respeitada.

Aqui nos Estados Unidos é diferente, a acessibilidade é muito fácil. Há respeito no trânsito, há bons exemplos. Há espaços grandes nos lugares públicos, banheiros adaptados e tudo o que for necessário. Os ônibus para cadeirantes passam na mesma frequência que os ônibus sem acessibilidade.

As escolas recebem e incluem perfeitamente as pessoas que tem Síndrome de Down, níveis de retardo, cegueira ou surdez.

É essa acessibilidade fantástica que faz com que a vida das pessoas com deficiência seja bem mais facilitada aqui em Miami e em todo país.

Acho que com o que falei aqui vocês podem ver a diferença na vida das pessoas com deficiência do Brasil e dos Estados Unidos.

Claro que nem todas as pessoas devem vir morar nos Estados Unidos para que possam ter uma vida melhor, por isso, espero que o Brasil acorde e veja o que faz com as pessoas com deficiência e idosos até hoje.

Eu sonho com um Brasil melhor para todos, e que tenha mais respeito com os idosos, cadeirantes e portadores de necessidades especiais.

Ricardo Rangel



R: Oi meu amigo Ricardo, sempre antenado por melhorias para a população. Muito bom esse relato das diferenças sociais entre os Estados Unidos e Brasil. Você, que foi a trabalho para os EUA pôde ver in loco esse respeito lá – e o que falta aqui. Ótimo e-mail. Abração.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

More articles

- Advertisement -spot_img

Latest article