22.2 C
Munich

10553 Silvia Em Revista 29 De Novembro De 2014

Must read



Home › Notícias › Silvia em Revista › Sílvia em Revista – 29 de novembro de 2014  
Sílvia em Revista – 29 de novembro de 2014



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Atualizado em 08/12/2014 às 14h49Publicado em 08/12/2014 às 14h46Silvia Bolívar – [email protected]
Sílvia Bolívar

[email protected]



Lixo dos imbecis

Como tem gente sem noção. Jogam sofás e vários tipos de lixo em locais de proteção ambiental. A quem querem enganar? Esse lixo vai acabar afetando a água de rios e represas. A água que essa gente bebe.

Se o material é descartado em estradas rurais, o dano também é grande, já que quando chove acaba agregando outro tipo de lixo, o que causa estragos no asfalto ou na via de terra.



Lixo 2

É pena a Prefeitura não ter coleta de recicláveis. Nem todos estão dispostos a ir num ecoponto e depositar ali seus recicláveis. Eu faço isso e notei que o lixo que realmente sobra é muito pouco. Se todos reciclassem o lixo – e a Prefeitura recolhesse o material – o aterro sanitário seria mais bem aproveitado.

O problema das cidades é esse: preferem não seguir a determinação de destinação de resíduos sólidos e muitas ainda têm lixão a céu aberto, como a grandiosa Campinas (quem diria?).

Será que tem alguma treta por aí?



Falsa bomba

Como faltar ao trabalho: colocar um artefato suspeito no local e esperar a reação. Quem vai duvidar se é ou não uma bomba de verdade? Pára tudo, sai todo mundo do prédio. Ai, se essa moda pega…



Trilegal

Foi muito bom o 8º Almoço Gaúcho promovido pelo Lar São Francisco no domingo. O novo local é muito bonito. Foi tanta gente que faltou espaço para os carros estacionarem. Além de muita comida, danças típicas gaúchas. Todo mundo adorou.



LDO

O governo de Dilma vai conseguir mesmo dar um olé na Lei de Diretrizes Orçamentárias. Em vez de ficarem no vermelho as contas ficarão no azul. Haja criatividade. Até a oposição está aceitando a manobra. De déficit para superávit fiscal.



Concerto

É hoje o 11º Concerto Anual do Jodlerklub Helvetia, um coral premiado e muito famoso. A apresentação será na Igreja Nossa Senhora de Lourdes, em Helvetia, as 20h15. Após o concerto, na sede social vai ter sorteio de prêmios, além de comida típica e bebidas diversas.



Kátia Abreu

Tá certo que o Ministério da Agricultura há tempos é comandado pelos ruralistas, mas nomear a indefectível Kátia Abreu para o cargo é assinalar o quanto Dilma Rousseff liga para o meio ambiente.

A senadora Kátia é visceralmente contra os ambientalistas. A filosofia dela é derrubar florestas para dar mais espaço para o agronegócio. E jornais já revelaram que trabalhadores em suas fazendas viviam num regime quase de escravidão.


Irmã Dulce

A Associação Beneficente “Irmã Dulce” – ABID promoverá amanhã, em sua sede, na Rua Ademar de Barros 759, um almoço em comemoração pelos seus 15 anos de atividades. Será servida uma ‘paella mineira’, com buffet de saladas e sobremesas (bebidas não inclusas), sendo o valor R$ 40 por pessoa (crianças até 8 anos não pagam). Informações: 2516-8202.



Orquídeas

O Clube 9 de Julho promove a segunda exposição de orquídeas hoje, das 9h às 21h; e amanhã, das 9h às 17h. A entrada é gratuita e haverá venda de orquídeas durante todo o evento.



Calendários

Adoro folhinhas, tenho uma em cada aposento da casa. Aceito doações – dessas de propaganda.



Desmatamento

Dilma e PT tentaram segurar o máximo a divulgação do estrago colossal na Amazônia em 1 ano. Os dados estavam disponíveis antes da eleição, mas só puderam ser divulgados depois. Em 2013 o desmatamento na Amazônia cresceu 220%.

Essa ministra do Meio Ambiente não faz nada. Nunca vi tão ruim. Que saudades da Marina Silva, que, quando ministra, lutava de verdade pelo meio ambiente.

Secas e estiagens nunca vistas. Rio São Francisco minguando. Ameaça de apagões. Quem iria imaginar que um dia Manaus registrasse apenas 18% de umidade relativa no ar? O índice é semelhante ao deserto do Saara.

Ninguém pensa na tragédia ambiental causada pelo desmatamento na Amazônia, a grande floresta úmida do mundo.

Por isso sempre impliquei com a Dilma, ministra desenvolvimentista que vivia às turras com sua colega Marina Silva, que lutava pela preservação do ecossistema.



Desmatamento aqui

Olhando o Google Earth a gente tem dimensão do pouco que resta de floresta em Indaiatuba. Quase não tem mais. São mais e mais bairros novos avançando onde antes era área rural. Até na área urbana se vê corte de árvores para dar lugar a novos empreendimentos.

Será que a Prefeitura não nota o dano ambiental que causa? A cidade está mais quente. Quase não existem mais matas ciliares. As poucas árvores que restam não servem mais para fazer os rios aéreos, que promovem chuva e melhoras em estiagens.



Passarela

Yasmin Vitória Godoy brilha cada vez mais nos desfiles de moda. Ela é linda mesmo e tem um belo futuro nas passarelas. Na foto com a mamãe, Adriana Vilardi.



Bazar da Gabriel

É hoje, das 10h às 19 h, o 1º Bazar Solidário da GABRIEL, no Espaço Lual, na Rua Pedro Gonçalves 1041 – Centro. A proposta da ONG é realizar um bazar diferenciado. Além de comprar roupas, sapatos, artigos de cama, mesa e banho, bijuterias em porcelana, artigos de patchwork e outros produtos novos ou em ótimas condições de uso, os participantes poderão relaxar com momentos de diversão e cuidados especiais para sua pele e corpo. Praça de alimentação, zumba, massagens, maquiagens. Muito legal.



Denúncia

Meu caro leitor Eduardo Lopes escreve para alertar: “A prefeitura esta fazendo a limpeza da represa em frente ao Chafariz. Ótimo, louvável.

Só que as máquinas estão passando em cima das mudas de árvores plantadas pela população. Nos dias de hoje tanto se fala em preservar a natureza e os órgãos públicos deveriam ser os primeiros a dar o exemplo”.

Que absurdo. Lembro quando essas árvores floram plantadas num mutirão esperançoso. Espero que a Prefeitura leia essa nota e faça de tudo para replantar as árvores e evitar novos danos.



Funciona assim

Vamos supor que uma prefeitura resolva fazer uma sede nova. Faz-se a licitação, uma empresa ganha e faz a obra num valor estipulado e fechado. Só que “esquecem” de fazer uma rampa. Aí, faz-se um aditamento. Sim, tem que ter rampa para cadeirantes, como esqueceram isso? Aí, notam que algumas salas não têm porta para o corredor. Novos aditamentos. E o corrimão das escadas? Nova adição de preço. E por aí vai… É assim em obras públicas nesse Brasil de meu Deus.



Boa, Linho

O vereador Linho fez boas emendas para o orçamento. Mais verbas para novos ecopontos e aumento nos valores destinados a convênios com entidades de proteção animal.

Aumento de R$ 100 mil para concessão de passe bolsa para estudantes e também mais repasses para o Conselho de Meio Ambiente e Conselho Tutelar.



CARTA



Os dois lados do Parque Ecológico



Olá Silvia, bom dia. Espero que esteja tudo bem contigo. Volto à sua coluna para comentar sobre o Parque Ecológico.

1) Pelo lado positivo temos manifestações de alegria, com grupos de pessoas que aproveitam para passar uma tarde de domingo entre as árvores e deixam marcas que contribuem para a bela paisagem. Um artista anônimo fez duas belas pinturas de modo extremamente criativo: usando filme de plástico transparente “encolhível”, no espaço entre os pinheiros, próximos ao Chafariz, criou telas para pintura. Sobre uma das telas, pintou um tucano e na outra tela um rosto de mulher. Fiquei impressionado com a qualidade do trabalho. Esse é um exemplo que os famigerados pichadores de plantão deviam seguir, produzindo algo que embeleze o ambiente e não emporcalhando a cidade.

2) Pelo lado negativo, vemos mais uma morte por atropelamento na Avenida do Parque: o caso do senhor “Rocha” atingido por uma moto ao atravessar a pista. Não tenho estatísticas oficiais, mas somente nos últimos meses, foram pelo menos 4 mortes no trecho entre o Barco e a Concha Acústica. Está mais que na hora de instalar lombadas, não as eletrônicas, mas as de asfalto mesmo, a cada 300 metros para obrigar a redução de velocidade dos veículos. As autoridades não precisam aguardar mais mortes, como acontecia na Estrada de Cardeal antes da instalação das lombadas, para providenciar uma série de lombadas na Avenida do Parque. O número de moradores e frequentadores está aumentando, assim como o desrespeito dos motociclistas e motoristas aos limites de velocidade, principalmente nos finais de semana. Lombadas “neles”, para salvar vidas. Espero não ter que escrever novamente sobre mortes por acidentes de trânsito no Parque Ecológico. Espero escrever só sobre as alegrias do Parque.

Grande abraço,

Osvaldo Belintani



R: Oi Osvaldo, muito bom seu e-mail, fala dos lados positivos e os negativos. De fato, quantas mortes naquele trecho! Talvez só lombadas mesmo para reduzir a velocidade. O pessoal não respeita os limites. Parabéns pela carta. Abraços.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

More articles

- Advertisement -spot_img

Latest article