3.1 C
Munique

10713 Fim De Isencao Do Ipi Aquece Vendas

Leitura obrigatória



Home › Notícias › Cidade › Fim de isenção do IPI aquece vendas  
Fim de isenção do IPI aquece vendas



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Atualizado em 08/01/2015 às 12h58Publicado em 08/01/2015 às 12h44Mariana Corrér – [email protected]

Mariana Corrér

[email protected]



Com o fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para 2015, a procura por carros zero quilômetro aumentou consideravelmente em dezembro e, em algumas concessionárias, chegou a crescer até 30%. Com fim da redução das alíquotas, os veículos populares ficam 4,5% mais caros, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). As altas, porém, podem chegar a 6% em função do reajuste de 1% a 1,5% feito pelas montadoras.



Com receio de pagar preços mais altos, consumidores aproveitaram os últimos dias de 2014 para fechar negócio. A loja da Citroën registrou aumento de 30% nas vendas no final do ano. Para o gerente, Willian Brito Marques Araújo, 20% dessa evolução se deve ao fim da isenção do IPI. “Neste mês, registramos a melhor primeira quinzena do ano e, mesmo sendo um mês mais curto, por causa das festas, foi o que melhor vendemos”, conta, acrescentando junho e outubro como outros meses de boas vendas.



Na concessionária da Fiat, a procura também cresceu. Luís Felipe Queiroz, gerente da empresa, registrou vendas 25% maiores no mês. “Mesmo com muita gente não acreditando que o IPI voltará, depois de tanta especulação, isso tem ajudado e aumentou bastante a procura”, comenta, lembrando que os emplacamentos em âmbito nacional aumentaram em 15%.



Na revenda da Ford da cidade, o volume também aumentou, mas, de acordo com o gerente Sérgio Roberto Minieri, não foi necessariamente pelo fim do prazo para isenção do IPI. “Na comparação com novembro, as vendas cresceram de 8% a 10%”, revela. “Mas acredito que os lançamentos são os principais responsáveis pelo aquecimento”, analisa.



Oportunidades



A estudante Marina Ferreira começou a analisar a possibilidade de trocar de carro no início de dezembro. “O problema é que as taxas de juros não estão muito atrativas, então resolvi esperar mais um pouco, torcendo para que, em 2015, continuem alguns incentivos”.



No caso da jovem analista de Comércio Exterior, Maysa Ribas, a oportunidade não foi perdida. “Eu estava pensando em comprar um carro novo e aproveitei este momento de preços melhores”, comemorou, enquanto assinava a documentação de seu primeiro carro zero quilômetro.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

Mais artigos

- Advertisement -spot_img

Último artigo