12.9 C
Munique

10762 Regimento Interno Da Camara Tera Alteracoes

Leitura obrigatória



Home › Notícias › Política › Regimento Interno da Câmara terá alterações  
Regimento Interno da Câmara terá alterações



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Publicado em 03/02/2015 às 10h31Mariana Corrér – [email protected]
Luiz Alberto ‘Cebolinha’ `Pereira é o primeiro entrevistado da série
Mariane Mationi – ACS/CMI

*

Mariana Corrér

[email protected]



A Tribuna inicia uma série de entrevistas com figuras políticas e autoridades de Indaiatuba, que falarão sobre seus trabalhos, dificuldades e propostas para suas áreas no município.

O primeiro entrevistado é o presidente da Câmara, Luiz Alberto Pereira, o Cebolinha (PMDB).



Reeleito presidente para mais o biênio 2015-2016, ele assume a necessidade de uma revisão no Regimento Interno da Casa e avisa que as instalações do Legislativo Municipal ficarão mais sustentáveis, com adaptações para a economia de água.



Tribuna – Neste segundo biênio como presidente da Câmara Municipal, há necessidade de alguma mudança?

Cebolinha – Uma das primeiras coisas é que vamos adaptar várias coisas na Câmara para economia de água, mudando torneiras e revendo descargas. Também vamos dar modernidade à Câmara, principalmente na área da informática. E procurar fazer com que a Câmara tenha um papel mais ativo na vida da sociedade.



Tribuna – E no aspecto legislativo?

Cebolinha – Vamos continuar na mesma toada. Entendemos que ano passado foi um ano de grandes discussões e que a Câmara não teve desrespeito entre seus integrantes. Foi algo republicano e democrático.



Tribuna – Há alguma dificuldade enfrentada como presidente diante dos parlamentares?

Cebolinha – Nada que não seja normal, do dia a dia, e que não nasça das discussões. Claro que sempre tem alguém que extrapola, mas conseguimos contornar esses momentos com muita tranquilidade no ano passado. Neste ano, quando a coisa partir para uma discussão que deixa de ser democrática e respeitosa, vamos combater como foi feito nos últimos dois anos.



Tribuna – Você preza pelo bom relacionamento com a oposição. Acha que ainda há alguma barreira a ser derrubada neste sentido?

Cebolinha – Não haveria lógica de uma Câmara sem oposição. Ela é parte integrante e deve ser respeitada, e é respeitada. Não há nenhuma barreira entre a base e ela na questão administrativa. Em relação à política, as diferenças são aquelas propostas nas campanhas: eles defendem o que colocaram, nós defendemos o que colocamos, o que pregamos nas ruas e nos colocou pra governar.



Tribuna – Quanto ao exercício Legislativo, o que tem de melhor na Casa? E o que ainda falta para esse ser mais consolidado?

Cebolinha – Abertura das discussões, maneira que nos tratamos, algumas vezes com dureza, mas sempre com respeito. Tem lugares em que os vereadores vão para as ofensas pessoais e até agressão física.



Tribuna – Fala-se na necessidade de revisão do regimento interno. Isso está nos planos? O que pode ser alterado nele?

Cebolinha – Entendo que tenha necessidade de revisão. Já foi feito estudo amplo para revisarmos o regimento ainda neste ano. Os principais pontos estão em adequações como no tempo de uso de palavra, número de indicações por sessão, número de moções, e até um artigo contradizendo o outro.



Tribuna – A população acredita em melhor representatividade com maior número de vereadores. Qual sua opinião sobre isso? É possível aumentar o número de parlamentares para as próximas eleições?

Cebolinha – Cada um tem um pensamento. Podemos ter até 21, o que acho um absurdo e exagero. Penso que pode aumentar até 15, não até o total. Mas essa decisão depende de todos, do grupo político onde será feito o debate de acordo com as propostas de cada, mas, por enquanto, isso é só conversa de corredor.



Tribuna – Acabando seu mandato como presidente, já sabe se tentará se manter na Câmara ou se tem pretensão fora do Legislativo?

Cebolinha – Meu plano no momento é presidir. Não podemos ficar adiantando as coisas, primeiro vamos presidir. Vou procurar fazer um trabalho correto e justo, honrar a população e essa oportunidade que muito me honrou. O futuro a Deus pertence.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

Mais artigos

- Advertisement -spot_img

Último artigo