12.7 C
Munique

7024 No Diva Dia 16 De Marco

Leitura obrigatória



Home › Notícias › No Divã › No Divã – Dia 16 de Março  
No Divã – Dia 16 de Março



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Publicado em 18/03/2013 às 14h13Paulo Antolini – [email protected]
O modo de ver a vida

Quanto tempo cronológico, horas marcadas, você já dedicou para refletir na forma como vê a sua vida? Já o fez metodicamente, ou seja, organizadamente? Sentou-se em local calmo e ambiente agradável, questionou-se e deixou os pensamentos aflorarem, depois até registrando em um papel tudo que surgiu?



Normalmente o que acontece com as pessoas são os pensamentos já condicionados que determinam que a vida é assim mesmo, que não tem jeito, que se nasce fadado a “a” ou “b” e que, além do mais, esses pensamentos são pura perda de tempo.



Para uma minoria existe a verdadeira reflexão sobre esse assunto. E ele é muito importante. De acordo como se vê a vida é que se constrói o que será vivido. Portanto, vale a pena fazer essa “viagem”, ela poderá lhe ser muito reveladora.



Todas as crenças são verdadeiras, mesmo as infundadas, pois ao acreditar nela, passa-se a agir sob essas bases, e dessa forma se transformou em verdade uma imaginação. Assim como os medos, há os reais e os imaginários, sendo esses últimos em muito maior frequência, pois a maior parte deles é infundada. Pensem quantos medos já viveram cujos resultados não aconteceram.



Como já falamos em outras ocasiões que vivemos em um mundo dual, só há o claro porque há o escuro, o frio porque há o calor e assim por diante. Então todas as situações vividas também possuem dois lados, que podemos dizer positivos e negativos. Pois bem, qual deles tem sua maior atenção? Seu filho veio visita-los e não trouxe nenhuma lembrança ou mesmo um prato para acrescer no almoço. Pois a maior parte das pessoas onde isso ocorre reclamam da desatenção, alguns dizem que os filhos até fizeram pouco caso, não demonstrando atenção. Isso é o que a visão negativa acha. Mas ainda bem que há os que vibram por terem sido lembrados por eles.



Depois de longo período de desemprego, conseguiu uma colocação em sólida empresa, que tem um justo sistema de remuneração e benefícios. Só que fica do outro lado da cidade. Em vinte, dezenove reclamam da distância, um se orgulha de ter conquistado o novo emprego. Quem é mais feliz?



Deixe o negativo e comece a olhar o lado positivo das situações, pois sempre existirão os dois lados. Ao fazer isso você estará optando por não fazer as coisas serem mais pesadas do que realmente são. Dedique a cada ocorrência o tempo justo para compreendê-la e traçar os passos necessários para seu enfrentamento, não mais do que isso. Definido o que é preciso fazer, dedique-se a outras coisas de sua vida, deixe que o momento de agir chegue e só então, retome o que tem que ser tratado. Verá como os momentos em família ou mesmo no trabalho e amigos se tornarão mais frequentes e intensos.



Quando crianças nos ensinaram que frente a problemas deveríamos estar com expressões sérias, “nem sonhar” sorrir. Representava não estar dando a devida importância ao que estava acontecendo. Hoje as pessoas carregam esse conceito consigo, fazendo com que olhem os problemas com mais importância do que eles realmente possuem. O filho vai a sua primeira balada e volta “sonzinho”, ou mesmo embriagado. Não é necessário dramatizar, ele não é um alcoólatra, basta orientá-lo e ficar atento.



Olhar o modo como se vê a vida faz identificar muitos pontos que não agregam nenhum valor ou importância ao que ocorre. Faz perceber que por maiores que sejam as dificuldades elas serão vencidas ou mesmo serão ultrapassadas, ficarão para trás e a vida continuará.



Dar maior atenção às coisas positivas do que as negativas, olhar as situações com mais leveza e não dar tanta atenção a determinadas ocorrências modificará em muito a qualidade de vida.

É também necessário saber que não basta ler e concordar, é preciso praticar. É sim trabalhoso mudar condicionamentos. Mas quem quer o melhor para si, consegue, então mãos a obra.



Paulo Antolini é psicólogo, psicoterapeuta, practitioner de programação neurolinguística, administrador e consultor de empresas. Fones: (19) 3834-8149 / (19) 9159-2480

Email: [email protected]

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

Mais artigos

- Advertisement -spot_img

Último artigo