15.4 C
Munique

7155 No Diva Dia 30 De Marco

Leitura obrigatória



Home › Notícias › No Divã › No Divã – Dia 30 de Março  
No Divã – Dia 30 de Março



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Publicado em 01/04/2013 às 15h03Paulo Antolini – [email protected]
Ansiedade e expectativas

Muito se fala da ansiedade, muito se diz “estou ansiosa por…”, “minha ansiedade em relação a isso é grande”, mas pouco se traduz no que isso realmente significa. Inicia com um desassossego, uma inquietação interna que vai crescendo e tem por base uma expectativa que se alterna entre medo e esperança em relação a algo em um futuro próximo, expectativa essa que não é clara e objetiva, as situações possíveis manifestam-se nos pensamentos de forma genérica.



Insônia, stress, aperto no peito com sensação de sufocamento, de falta de ar, formigamento nas extremidades, dificuldade de raciocínio, gerando confusão mental, arrepios, mãos úmidas, secura, tonturas, dores musculares e sensações de paralisia, física e também mental. Sintomas típicos de quem esta vivendo uma crise de ansiedade.



As situações passam e a ansiedade apenas se desloca de um objeto de preocupação para outro. Elas já não possuem vínculos com gravidades de situações, elas se tornaram uma forma de viver. Isso é tão intenso que tem sido muito comum ver pessoas que frente a situações existentes já possuem tudo equacionado para a solução, mas vivem verdadeiros terrores porque existe um tempo cronológico para que as coisas aconteçam.



A mente gira e gira e continua a girar, sem permitir que o pensamento se desenvolva e se desprenda do que já está resolvido, é só o tempo do acontecer. Aprender a direcionar o pensamento para novas situações e desfrutar de um novo estado interior é o objetivo de quem realmente quer se libertar desse rodamoinho chamado ansiedade.



Porém o exercício não é de resultados rápidos. Romper e modificar esse ciclo vicioso a qual se está condicionado é uma missão árdua. Compromisso cuja razão de ser é uma verdadeira transformação em nossas existências. Passa inclusive por uma reavaliação de valores e crenças nas quais nos pautamos. Nos levará frente a frente com o que é essencial, o que é importante e o que é desejável mas não faz grandes diferenças à nossa existência.



Uma das maiores dificuldades do ansioso é aquietar a mente. O que é também o grande objetivo de quem quer deixar de ser movido pela ansiedade: aquietar a mente. Aquietar a mente significa reduzir ao máximo a intensidade e o volume de pensamentos de tal maneira que a pessoa passa a perceber mais nítida e claramente seu próprio corpo, seus sentimentos e suas emoções. Importante ressaltar que é exatamente isso que a ansiedade quer impedir.



Então como fazer para se modificar esse quadro. Em primeiro plano está o refletir sobre as expectativas que possui, ou seja, o que está esperando da vida, o que é possível, o que é real e o que é imaginário.



Aprender técnicas de relaxamento. Inicialmente com alto grau de dificuldade, a persistência possibilita vencer as resistências. Toda técnica de relaxamento se utiliza da respiração. A maior parte das pessoas não sabe respirar. É comum escutarmos que “fulano está com falta de ar”. Engano. Ele apenas está com muito ar parado nos pulmões e com isso não há renovação de oxigênio, ficando com ar poluído e com todas as consequências de uma irrigação pobre em oxigênio, gerando tonturas, náuseas, etc.



Portanto, respirar profundamente várias vezes ao dia vai nos propiciar uma melhor postura. De uma simples caminhada à prática assídua de um esporte em muito irá contribuir para a ativação de energias saudáveis e estimulantes naturais, evitando bebidas ou produtos que forcem um estímulo artificialmente.

Estabelecer um tempo diário, pode ser apenas dez minutos para alguns exercícios de alongamento e para o desprender-se das preocupações do dia-a-dia. Criar o hábito de refletir sobre o dia, meditar também, e principalmente, dirigir os pensamentos para o que há de agradável e positivo.



Muitos não confiam em colocações como as feitas acima porque entendem que tudo tem que funcionar de imediato. “Se fosse bom já teria acontecido, fiz e não adiantou nada”. Não fez. Não se dispôs se modificar realmente. Pois os que assim se propuseram, conseguiram. A satisfação da conquista é inúmeras vezes maior que o peso do esforço.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

Mais artigos

- Advertisement -spot_img

Último artigo