17.1 C
Munique

10420 Pes Saudaveis E Bonitos No Verao

Leitura obrigatória



Home › Notícias › Mulher › Pés saudáveis e bonitos no verão  
Pés saudáveis e bonitos no verão



Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA
Atualizado em 27/11/2014 às 17h17Publicado em 29/10/2014 às 11h18Anieli Barboni – [email protected]
Cuidados exigem hidratação e avaliação de um especialista

*

Por Anieli Barboni

[email protected]



Mulher tem várias preocupações com a beleza. Engana-se quem pensa que o importante é só cuidar de cabelo (conhecido como a moldura do rosto) ou das criativas unhas das mãos. A estação que está chegando (o verão) pede sapatos mais arejados e uma das preocupações femininas é com a aparência dos pés, para evitar frieira, mau cheiro e ressecamento.



A Tribuna conversou com a podóloga e professora da faculdade Max Planck, Ivanir Landi, sobre os cuidados para deixar os pés bonitos e saudáveis. Segundo ela, o primeiro passo é hidratar os pés. “O básico é a hidratação, que deve ser feita a noite porque ela dura mais tempo. Então, a pessoa deve usar um bom creme, e que seja próprio para os pés. Também aconselho que a mulher vá a um podólogo, principalmente quando se tem calosidade”, diz a podóloga.



Ivanir explica que nas estações quentes o pé fica exposto e isto provoca o ressecamento. “É muito difícil para a mulher manter esta hidratação por causa do uso do sapato aberto. Então, se tiver uma boa hidratação à noite, você consegue manter o pé hidratado durante o dia.”



A podóloga alerta que os cremes comprados em catálogos não são os ideais. “Esses cremes não funcionam. Existem os cremes ideais, que temos no consultório, e são compostos com ureia. Os cremes de catálogos também têm ureia, mas são misturados com outros produtos e acabam não funcionando direito”, explica.



Outro conselho de Ivanir é para não usar as lixas nós pés. “As lixas pioram. O que acontece, na região plantar do calcâneo existe uma linha digital. Eu aconselho vir na podóloga e fazer o lixamento plantar. A mulher também não deve lixar o pé no chuveiro. Ela pode usar a pedra pome, ou a esponja natural no banho, que não tem problema nenhum, é muito melhor do que a lixa”, alerta a especialista.


Ivanir alerta que, para evitar o chulé não se deve usar o mesmo sapato todos os dias (Foto: Eduardo Turati)

Chulé

A podóloga também comentou sobre o chulé. “Ninguém está livre do chulé. Então, a recomendação é higienizar o pé e o sapato. A mulher também deve tomar cuidado para não dividir os sapatos e sandálias com outras pessoas.



Se a pessoa tiver um problema fisiológico deve ir ao médico e tentar descobrir o que é. E indico também usar uma solução básica: soro fisiológico, solução bucal (antisséptico) e sabonete antibacteriano líquido. A pessoa mistura um dedo de cada produto dentro do soro fisiológico, borrifa no pé e deixa secar. Depois de dez minutos tem que secar com um papel entre os dedos para não ter frieira.



A podóloga também aponta que o chulé vem do sapato fechado e dá algumas dicas. “O sapato deve ficar em um lugar que tenha ventilação durante a noite. E não se deve usar o mesmo sapato todos os dias, porque ele não seca em uma única noite, ainda fica úmido por dentro.



Os talcos que combatem o chulé nem sempre são eficientes. “Tem paciente que usa esses talcos e não têm problemas. Outros pacientes usam e têm frieira. Você usa o sapato o dia todo e forma uma água. Esta água junta com o pó do talco, que acaba cortando e afetando a pele. Por isso, aconselho o uso do aerossol”, orienta.



Unhas

A tendência brasileira entre as mulheres é a de se livrar das famosas cutículas, mas Ivanir alerta: “A manicure remove a cutícula, que na podologia chamamos de eponíquio. Porém, a cutícula protege a unha e a pele, portanto, removê-la não é o ideal, fica bonito, mas prejudica. Na podologia fazemos a limpeza desse eponíquio e deixamos ele mais baixinho, não fazemos a remoção”, conta a especialista.



Além da cutícula, Ivanir comentou sobre as unhas amareladas por causa do uso do esmalte. “É lindo o pé esmaltado, mas o problema é que o esmalte e a base têm cores e quando fica por muito tempo na unha acaba afetando e a unha pode ficar amarelada. O correto é ficar, no máximo, cinco dias com o esmalte na unha”, ensina.



“Podologia é saúde e o ideal é ir pelo menos uma vez ao mês para fazer a avaliação e cuidar dos pés. É uma questão de saúde, principalmente quando o paciente tem diabetes. A parte plantária é essencial ter cuidados porque é uma porta aberta para fungos e doenças”, finaliza a podóloga.


Acessórios ajudam a prevenir os problemas mais comuns
Produtos ajudam a garantir a saúde dos pés com qualquer calçado (Foto: Eduardo Turati)

*

Por Mariana Corrér

[email protected]



Vários acessórios colaboram com a saúde dos pés, protegendo a pele e os ossos. Com eles, é possível prevenir ou retardar problemas comuns como calos e joanetes.



A podóloga Ivanir lembra que as rasteirinhas e sapatilhas prejudicam os pés, mas que existe uma solução para amenizar os problemas. “A rasteirinha agride, mas tem como você não usar rasteirinha? Não tem.



A sapatilha também prejudica, e faz com que o ossinho na lateral do pé cresça, então, o conselho para quem não deixa de usar estes sapatos é: não usar meias de nylon porque resseca o calcâneo, usar sapatos mais confortáveis, creme hidratante e protetor para calo. Estes protetores funcionam e ajudam no conforto”, diz Ivanir.



Quanto aos protetores, há opção para todas as partes do pé – calcanhar, sola e dedos – e que ajudam em todos os calçados. Os preços são acessíveis e variam de R$ 10 a R$ 52. Os materiais também são variados, especialmente em gel.



A proprietária de uma sapataria do Polo Shopping, Lívia Negrão, lembra que a espuma E.V.A. também é bastante comum e existe principalmente nas palmilhas. Entre as opções estão os protetores para joanete e calos, que são colocados nos próprios pés e podem ser usados mais de uma vez.



Outro produto é a calcanheira, que evita o desgaste da pele do calcanhar e diminui as dores e fadigas por muito tempo em pé ou longas caminhadas.Outra peça para essa região é a colada na parte de trás do sapato, permitindo melhor “encaixe” do pé, sem que ele fique raspando ou saindo do calçado.



A palmilha também é bastante procurada e, segundo Lívia, é a campeã de vendas. “Existe palmilha para o pé todo, que além de não deixá-lo transpirar, o protege de impactos, cuidando até dos joelhos”, comenta. “E existe a palmilha apenas para metade do pé, que auxilia também nos impactos.”



Mais uma novidade é o protetor de dedos. Eles são individuais, podendo ser utilizados em qualquer dedo, uma vez que são bastante elásticos e se moldam de acordo com o tamanho e formato.

Compartilhe:
Tamanho do texto: AAAAAA




Comentários (0)

- Advertisement -spot_img

Mais artigos

- Advertisement -spot_img

Último artigo