22.2 C
Munich

70 Clinicas Particulares Comecam A Oferecer Vacina Contra Gripe

Must read

Home Notícias Cidade Clínicas particulares começam a oferecer vacina contra gripe

Primeiro Caderno

  • Charge
  • Cidade
  • Dropes
  • “Ekos” do Santuário
  • Em pauta
  • Espaço do leitor
  • Esportes
  • Filatelia
  • Imagem da Cidade
  • Manchetes
  • Pinceladas
  • Polícia
  • Serviços
  • Súmula
  • Você Sabia

Caderno B

  • Agenda
  • Almanaque
  • Cinema
  • Horóscopo
  • Lazer e Cultura
  • Livros
  • No Divã
  • Resumo de Novelas
  • Sílvia em Revista
  • Social

Classificados

  • Páginas Online
  • Anuncie
  • Caderno Imobiliário

Clínicas particulares começam a oferecer vacina contra gripe
Com custo de até R$ 100 a dose, demanda já é grande em estabelecimento que começou atendimento
Tamanho do texto: AAAAAA
Atualizado em 20/04/2010 às 16h33Publicado em 19/04/2010 às 17h29Tatiane Quadra – [email protected] 
Mauro MotozonoClínica de Indaiatuba começou a imunização no sábado

Procurar pela vacina no sistema particular de saúde é a opção para quem não se encaixa nos grupos de risco que serão imunizados na campanha nacional contra a Influenza A (H1N1), popularmente conhecida como gripe suína. Uma clínica no Jardim Pau Preto começou a imunização no sábado, dia 17, e já atendeu 90 pessoas. A outra começará a vacinação na primeira semana de maio e já possui uma lista de espera com 200 nomes.



O Ministério da Saúde começou em março a imunização dos grupos prioritários, que inclui trabalhadores da área da Saúde e indígenas, gestantes, idosos (acima 60 anos), crianças de seis meses a dois anos, adultos de 20 a 29 anos, além de pessoas com problemas de saúde crônicos, o que inclui doenças do coração, pulmão, fígado, rins e sangue, diabéticos, pessoas com debilitação do sistema imunológico e obesos grau 3.



Para estes, a dose é disponibilizada gratuitamente nos postos e unidades de Saúde, de acordo com o calendário pré-estabelecido. Porém, quem estiver fora desta relação e quiser se prevenir contra a gripe suína precisa pagar pela dose.



Em Indaiatuba, a Secretaria Municipal de Saúde tem conhecimento de duas clínicas que farão a vacinação. O Centro de Especialidades Médicas (Ceme), que fica na Avenida Presidente Kennedy só oferecerá o serviço a partir da primeira semana de maio. O motivo é que o laboratório ainda não enviou o material. O estabelecimento informa que está anotando o nome dos pacientes e retornará para agendar a aplicação, que ocorrerá diariamente. A lista de espera já possui 200 nomes, sendo que a maioria é de crianças acima de dois anos de idade. O valor da dose ainda não foi definido, mas a Ceme informa que muita gente já liga procurando a vacina.


Atendimento

O Centro Médico de Indaiatuba, localizado na Rua José da Costa, no Jardim Pau Preto, começou as imunizações no sábado, quando atendeu 90 pessoas. O serviço é realizado em parceria com a Clínica Vacin, de Campinas, e ocorrerá apenas aos sábados das 9h às 12h, e às terças-feiras, das 9h às 11h30. O custo é de R$ 60 para crianças até seis anos e R$ 100 para qualquer pessoa acima desta idade. A responsável pela recepção, Milena da Costa Silva Souza, explica que as crianças podem precisar de reforço após 30 dias da primeira dose. “Quem determina isso é a médica que acompanha a vacinação”, informa. “Antes da aplicação é feita a avaliação do paciente e recomendada as doses.”



Segundo Milena, grande parte do público que procurou o estabelecimento sábado era de adultos que estão fora da faixa etária compreendida pela campanha nacional. “Muitos tinham mais de 30 anos e alguns idosos que já estão acostumados a tomar a vacina da gripe comum conosco também aproveitaram para se imunizar contra a H1N1”, comenta. “Não havia muitas crianças, a maioria tinha ido tomar a vacina de rotina e também foi imunizada contra a gripe A.”

A clínica informa que a vacina que aplica é a mesma disponibilizada pelo governo, e conta que só começou a imunização agora porque houve um atraso na entrega das doses. As aplicações deverão ser feitas até junho.



LOCAIS DE VACINAÇÃO

Centro Médico de Indaiatuba

Rua José da Costa, 538, Jardim Pau Preto

Telefone: 3825-6060

De R$ 60 a R$ 100



Centro de Especialidades Médicas (Ceme)

Avenida Presidente Kennedy, 1.322, Cidade Nova

Telefone: 3801-3659

Não há preço estipulado



Imunização de adultos vai até 6ª

A imunização de adultos entre 20 e 29 anos está chegando à reta final. Pessoas nesta faixa etária podem procurar os postos e Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) até sexta-feira, dia 23. O último balanço da Secretaria Municipal de Saúde é de quinta-feira passada, dia 15, quando 44% do público alvo havia recebido a vacina contra a Influenza A .



Ao todo 30.928 pessoas receberam a dose, sendo que Indaiatuba estima vacinar até o final da campanha nacional, que se encerra dia 21 de maio, 70.094 pessoas. Apesar de a terceira etapa estar chegando ao fim, as pessoas que estavam incluídas na segunda fase da campanha, como as gestantes, crianças de seis meses a dois anos de vida e pessoas com doenças crônicas, tiveram o prazo para a vacinação estendido e ele também termina na sexta-feira.



A Secretaria Municipal de Saúde orienta que a população leve a caderneta de vacinação e um documento de identificação com foto para os adultos. Não é necessário para as gestantes e pessoas portadoras de doenças que levem documento atestando a gravidez ou a doença.



Na vacinação das crianças, pais e responsáveis devem levar aos locais de imunização apenas os bebês de seis meses a menores de dois anos. As crianças receberão uma dose dividida em duas vezes. A segunda meia dose será administrada 30 dias após a primeira. Se a criança completar seis meses depois de sexta-feira, também poderá ser vacinada nas etapas seguintes.



Próxima

A partir de sábado, até o dia 7 de maio, ocorrerá a quarta etapa da vacinação. Receberão a vacina contra a gripe A os idosos com 60 anos ou mais portadores de doenças crônicas. Os demais idosos irão tomar apenas a vacina contra a gripe comum (sazonal). Na última etapa, de 10 a 21 de maio, o alvo serão os adultos com idades entre 30 e 39 anos.

A campanha segue orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). A vacina é segura e eficaz. A única contraindicação é para quem tem alergia a ovo de galinha.

Tamanho do texto: AAAAAA

Comentários (1)

Mais comentáriosNenhum Comentário
Deixe seu comentário




 
- Advertisement -spot_img

More articles

- Advertisement -spot_img

Latest article